Arte

Exposições internacionais podem desaparecer do Brasil por conta da taxas aeroportuárias

por: Redação Hypeness

Qual a relação entre o mercado da arte e a aviação? Saiba que ela pode ser mais forte do que você imagina.

Com o reajuste das tabelas de preços para o armazenamento de mercadorias estipulado pelo governo, as concessionárias dos principais aeroportos do Brasil passaram a interpretar que obras de arte devem ser sobretaxadas.

Os aeroportos de Guarulhos (São Paulo), Viracopos (Campinas) e Galeão (Rio de Janeiro) passam a cobrar uma taxa de 0,75% sobre o valor da obra de arte para o armazenamento desta. Antes da mudança, a cobrança consistia em R$ 0,15 por quilo de peça guardada, segundo noticiou a Folha de S. Paulo.

Os valores mudaram de acordo com a nova interopretação da tabela que detalha como deve ser feita a cobrança do armazenamento de bens. Antes, as obras eram taxadas como bens de cunho cívico-cultural. Agora, passam a pagar os mesmos valores que bens comerciais. Segundo depoimento de Fernanda Feitosa, da SP-Arte, à Gaúcha ZH, o aumento pode chegar a 10.000%.

A alteração gera um aumento de custos infundado, que pode inviabilizar futuras exposições e mostras de arte internacionais em solo brasileiro. Um quadro de Van Gogh, vendido por US$ 66 milhões, pagaria o equivalente a quase R$ 2.000 somente em custos de armazenamento, segundo a nova interpretação.

Publicidade

Fotos via Unsplash


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Nicette Bruno, vítima de covid-19, ganha homenagem da família no dia em que completaria 88 anos