Viagem

Rede de hotéis chega ao Brasil prometendo preço de Airbnb, conforto de hotel e vibe de hostel

por: Mari Dutra

Com sedes em diversos países latino-americanos, a rede de hotéis Selina promete chegar ao Brasil até o fim do ano. Com precinho de Airbnb, conforto de hotel e toda a descontração dos ambientes de um hostel, as unidades brasileiras têm tudo para cair nas graças do público millennial.

Essas características já garantem uma estadia única, mas a rede promete ainda mais ao contar com espaços de coworking e atividades diferenciadas para os viajantes em cada destino. Tem meditação, yoga, aulas de surf e até voluntariado nas comunidades locais.

Já são 25 hotéis em oito países – e muitas outras já têm data confirmada para a inauguração. Até 2019, cerca de 40 hotéis da marca estarão espalhados pelo mundo. Aqui no Brasil, a estreia do grupo deverá ocorrer em Florianópolis, no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Passar a noite em um dos hotéis Selina pode sair por apenas US$ 10 (cerca de R$ 40, preço de uma cama em quartos compartilhad0s) ou mesmo US$ 300 (cerca de R$ 1.200, valor para um quarto de casal da categoria luxo). Os valores variam de acordo com o destino escolhido, época do ano e nível de conforto buscado pelo hóspede.

Os espaços de coworking não são abertos apenas para os viajantes, mas também para toda a comunidade, que paga uma pequena taxa para utilizá-los. Com isso, a ideia é atrair nômades digitais de todo o mundo, que podem trocar experiências com pessoas locais ao mesmo tempo em que contam com um alojamento com a qualidade de uma grande rede de hotéis.

Quem aí está ansioso pela chegada da rede ao Brasil?

Publicidade

Todas as fotos: Reprodução/Selina


Mari Dutra
Criadora do Quase Nômade, contadora de histórias, minimalista e confusa por natureza, com os dois pés (e um pet) no mundo. Chega mais perto no Instagram.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Solstício de verão em Stonehenge terá transmissão online pela primeira vez na história