Debate

WhatsApp passa a cobrar empresas que demoram para responder clientes

por: Redação Hypeness

O WhatsApp é utilizado por 1,5 bilhões de usuários em todo o mundo. Responsável pela transformação completa nas relações humanas, o serviço de mensagens instantâneas foi comprado pelo Facebook em 2014 pela bagatela de 22 bilhões dólares.

Quatro anos depois, executivos ainda buscam um caminho seguro para a geração de lucro. Mesmo diante de uma quantidade de dinheiro impensável, o WhatsApp não consegui gerar um impacto significativo para os investidores. Por enquanto.

Assim como o Facebook, o WhatsApp possui uma versão de negócios. Lançado no início do ano, o WhatsApp Business reúne empresas de grande e pequeno porte, que utilizam a plataforma para estreitar as relações com clientes. É justamente este o caminho das pedras para os executivos da companhia controlada por Mark Zuckerberg.

O objetivo é aumentar os lucros do Facebook

A partir de agora as grandes empresas serão cobradas. Dúvidas, respostas de comentários e informações sobre cobranças e prazos de entrega vão ser gratuitos apenas por 24 horas. Depois disso, as companhias vão ser taxadas entre 0,5 e 9 centavos de dólar, segundo a Reuters.

O sistema faz parte de um pacote de medidas que visam aumentar os impactos do produto. A partir de agora, clientes vão poder se conectar rapidamente às empresas por meio de um botão de atalho, responsável por iniciar a conversa. Além disso, vai ser possível receber via criptografia informações e suporte em tempo real.  

Os testes, de acordo com o Facebook, envolvem mais de 90 empresas entre elas a Uber, Wish e a Singapura Airlines.

WhatsApp com anúncio

Outra mudança substancial prevista para 2019 é a integração entre WhatsApp e Facebook para a exibição de anúncios pagos. No Zap, as propagandas estão dispostas no WhatsApp Status, ferramenta idêntica ao Stories do Instagram.

Falando ao Wall Street Journal, executivos da empresa dizem que a ideia é dar um aspecto familiar para a integração entre cliente e empresa.

Os impactos financeiros devem contribuir para a recuperação financeira do Facebook, em crise desde o estouro de um escândalo envolvendo a utilização de dados pessoais sem autorização. Desde o lançamento em 2017, a barra de status é utilizada diariamente por cerca de 450 milhões de usuários. Número superior aos 400 milhões de adeptos no Instagram.

“Vamos avançar de forma lenta e cuidadosa e fornecer mais detalhes antes de colocarmos os anúncios em status”, explicou ao TechCrunch um porta-voz do WhatsApp.

Publicidade

Foto: Pixabay


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Doença ligada a uso de cigarros eletrônicos se espalha nos EUA e preocupa médicos