Inovação

Aos 15 anos, ela criou bengalas com GPS para ajudar deficientes visuais

por: Vitor Paiva

Patrocinado por:

Publicidade Anuncie

Não é preciso ser um experiente cientista ou um velho inventor para criar algo que possa impactar positivamente e fazer a diferença na vida de muita gente – se você tem uma grande ideia e a criatividade afiada nessa direção, é possível efetivamente mudar o mundo. Esse é o caso da estudante canadense Riya Karumanchi, de apenas 15 anos, que criou a “Smart Cane”, uma bengala inteligente capaz de ajudar, guiar e proteger a vida de pessoas com deficiência visual.

Riya Karumanchi

A invenção de Riya em seu protótipo traz um GPS capaz de orientar o usuário com vibrações indicando direção, como uma vibração indicando a direita, e duas indicando a esquerda. Junto do GPS a Smart Cane traz um sensor ultrassônico de proximidade, e ainda um “serviço de emergência”. O sensor aponta a aproximação de objetos perigosos, e o serviço de emergência permite que a pessoa possa compartilhar sua localização, suas informações pessoais e seu histórico médico.

A ideia nasceu em Riya depois que ela conheceu a avó de uma amiga que era quase cega. “Percebi como as pessoas com deficiências visuais ou auditivas estavam lutando para se locomoverem sozinhas”, afirmou a jovem inventora. “Eu vi como isso poderia ser frustrante e, a partir daí, pensei em criar um dispositivo de assistência para melhorar suas vidas”, disse Karumanchi. Com sua invenção, um imenso futuro de possibilidades se abriu para ela – e para todos os deficientes visuais em potencial.

O sensor ultrassônico do protótipo da bengala

Riya passou todo o verão com sua empresa em uma incubadora em uma universidade canadense, onde levantou cerca de 56 mil dólares, ou cerca de 232 mil reais, de investidores como a Microsoft, para iniciar sua produção. Hoje ela lidera uma equipe de 11 pessoas desenvolvendo sua Smart Cane – que chegará a um modelo viável em dezembro. Sua ideia é que o modelo finalizado tenha também uma câmera com inteligência artificial, capaz de reconhecer rostos e descrever objetos.

Publicidade Anuncie

© fotos: divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.


X
Próxima notícia Hypeness:
Por que você deveria assistir a trevosa série ‘O Mundo Sombrio de Sabrina’ na Netflix