Ciência

As múmias incríveis que o mundo perdeu no incêndio do Museu Nacional

por: Redação Hypeness

A verdadeira dimensão da tragédia ocorrido no último domingo com o incêndio que destruiu o Museu Nacional, no Rio de Janeiro, não pode ser medida em números, e será percebida por muitos e muitos anos daqui em diante. Permitir a destruição de praticamente todo um acervo científico, antropológico, arqueológico e histórico de mais de 20 milhões de peças significa permitir a destruição do próprio país. Um dentre os milhões de exemplos possíveis do tesouro destruído é o acervo de múmias que estavam no museu.

O Museu Nacional em chamas

As múmias do Museu Nacional eram uma das atrações mais populares de seu acervo. Amazônicas, mineiras, egípcias, indígenas ou andinas, a coleção de múmias do Museu era a maior da América Latina, e uma das mais importantes do mundo. A coleção arqueológica egípcia do Museu era a maior e mais antiga da América Latina, e foi para o Museu Nacional que a primeira múmia egípcia foi trazida para o continente.

Uma das múmias mais populares do acervo era a da Princesa egípcia Kherima, que tinha cerca de 2 mil anos e trazia principalmente os dedos dos pés praticamente intactos. Quando foi trazida ao museu, ainda era permitido encostar na múmia, e diversos casos de reações de transe e experiências paranormais foram relatados depois de se encostar em Kherima.

A múmia Kherima

Hoje provavelmente todo esse acervo de múmias está simplesmente perdido, e trata-se somente de uma diminuta parte do que representa a destruição do Museu Nacional.

A múmia andina Aymara

Assim como o incêndio é uma metáfora quase literal da atual realidade do país, em que o obscurantismo, os interesses financeiros e a mera ignorância colocam a ciência, a pesquisa, a história e a memória como descartáveis, o significado da perda das múmias é também um perfeito reflexo, de tesouros que, depois de resistirem a literalmente milhares de anos, agora foram destruídos pelo descaso, a burocracia, o obscurantismo.

Sarcófago de Sha-Amun-en-su

A múmia Chiu Chiu

A cabeça de uma múmia amazônica

 

 

 

 

 

 

 

 

Publicidade

© fotos: divulgação


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Bióloga brasileira ganha prêmio internacional por evitar morte de animais em rodovias