Ciência

Elon Musk quer nos tornar imortais, fazendo nosso cérebro viver em computadores

por: Vitor Paiva

Já tornou-se lugar comum referir-se a algum novo projeto do empresário sul-africano Elon Musk como digno de um roteiro de ficção científica, mas se tal clichê se popularizou é pois Musk vem de fato desafiando os limites do que a tecnologia e, com isso, o ser humano é capaz com bastante sucesso. Dele, portanto, devemos esperar tudo – e uma de suas mais ambiciosas propostas é que possamos “viver para sempre” através da transferência da mente humana para um computador.

Tal movimento vem sendo chamado de “Transumanismo”, e defende que a tecnologia pode ser usada não só para aprimorar a qualidade de nossas vidas, como, com o maquinário e as pesquisas certas, realizar o “mind upload”, ou a reproduçãoo da mente humana, suas memórias, personalidades e traços profundos, para uma máquina. E os primeiros passos estão sendo dados: espera-se que em 15 anos seja possível mapear todas as atividades do cérebro de um rato, por exemplo.

Claro que o cérebro, com seus 86 bilhões de neurônios produzindo pensamentos através de cargas elétricas, e seus tantos mistérios, é um “computador” realmente complexo, sobre o qual ainda sabemos de fato bem pouco. Os críticos defendem que tais complexidades não podem ser replicadas, mas Musk e muitos outros pesquisadores estão trabalhando para que isso se torne possível – no futuro, portanto, a vida eterna pode estar à distância de alguns cliques e um upload.

Publicidade

© fotos: divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Nem animal, nem planta nem fungo: um ser vivo surreal com 720 sexos e sem cérebro