Debate

Spotify é acusada de discriminação de gênero e de relevar casos de assédio sexual

por: Redação Hypeness

Hong Perez, ex-executiva do Spotify, entrou com uma ação contra a empresa norte-americana dizendo ter sido vítima de discriminação de gênero.

Segundo a ex-funcionária, seu chefe no setor de vendas privilegiava homens – oferecendo maiores compensações financeiras.

No relato, Hong alega que o executivo da plataforma de streaming de música costumava aplicar punições leves em casos de assédio sexual. Perez revelou ainda uma prática frequente por parte de Brian Berner – seu antigo superior,  de selecionar grupos de homens para participar do Festival de Cinema de Sundance entre 2016 e 2017.

A empresa é acusada de colocar panos quentes em casos de assédio sexual

A excursão teria sido regada a drogas e brigas. Perez salienta que a opção não levou em consideração mulheres mais capacitadas e em posições superiores.

Até o momento, o Spotify se limitou em emitir uma nota oficial negando a adoção de posturas discriminatórias. “No Spotify não toleramos discriminação de qualquer tipo e em qualquer nível. Embora não possamos comentar os detalhes específicos de um litígio pendente, essas alegações são sem fundamento”.

Publicidade

Foto: Unsplash


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Quem foi o camponês símbolo da luta contra agrotóxicos morto por doença provocada por veneno