Cobertura Hypeness

Youpix Con promove debates sobre influenciadores, fake news e até relacionamentos online

por: Gabriela Rassy

Como funciona o mercado de conteúdo digital e como entrar nesse negócio de cabeça, acreditando no seu potencial? Por mais um ano, a turma do YouPix se une para compartilhar informações e reflexões sobre o universo dos influenciadores digitais. Pela primeira vez aberto ao público, o YouPix Con 2018 reuniu 1500 pessoas animadas para entrar de cabeça em assuntos relacionados a conteúdo e comunicação digital.

Com o tema “Think Like A Creator”, o evento ofereceu 56 palestras e painéis espalhados por seis grandes espaços, além dos 4 palcos habituais do event. O Keynote Stage, palco principal do encontro, começou logo com um papo sobre tendências de social video e comunicação digital com a Bia Granja, sócia do YouPix. “Acho que os highlights são as palestras e atividades que falam sobre a intersecção do mundo mediado pela câmera, do ponto de vista de negócios, de consumo de conteúdo, de cultura, de movimento, de política”, diz Bia.

Ainda no palco principal, acompanhamos a mesa da Rebeca de Morais, fundadora da consultoria de inovação Aurora. Ela falou do futuro dos relacionamentos e explicou como nós mudamos nossa vida, seja como consumidores ou como indivíduos na hora de buscar uma pessoa. “A gente quer fazer o que tem sentido, quando tem sentido. E nessa forma não cabe mais aquele contratinho antigo”, explica Rebeca quando fala das relações Beta.

Por ali, o público também ouviu Caco Barcellos falando sobre o desafio de ensinar jornalismo para as novas gerações. O jornalista falou sobre o Globo Lab Profissão Repórter e deu dicas sobre como criar uma boa reportagem. “A graça do jornalismo é aprender. A ideia é deixar nossas convicções, nossas ideologias, nossa religião para trás e ouvir o que as pessoas têm a nos dizer”, disse Caco. “Nosso trabalho como repórter é essencial. Muita gente acha que numa opinião está o fato. Mas muitas vezes, não”. Ele falou ainda sobre a falsa imagens das redes sociais: “Quando a gente vai para a rua, nossa missão como repórter é quebrar o Facebook das pessoas. No Facebook, as pessoas se apresentam de forma linda e maravilhosa. Precisamos quebrar isso”.

Até os memes entraram na pauta. Como esse fenômeno da internet pode ser entendido como um termômetro de comportamento dos jovens. A Consumoteca, consultoria que traduz cultura em inovação para então transformar o jeito como as marcas lidam com as mudanças do mundo, fez um mapeamento sobre o tema e chegou à conclusão que os memes são ótimas ferramentas para entendermos melhor os jovens, suas tensões e percepções de mundo e a maneira como constroem a comunicação e a democracia hoje. “Se você não se conecta com a piada interna, você vai ser só mais uma marca ou um creator engraçadinho. O contexto é dominar referência”, explica Marina Roale, da Consumoteca.

Ir ao YouPix Con tem todo o sentido para quem quer fazer contatos e entender a dinâmica dos creators. Passamos pelo ViU HUB, na mesa sobre responsabilidade de fala com Ana Paula Xongani (Creator), Cleytu (Creator), Maicon Santini (Creator), Patricia Chmielewski (Curadora de Conhecimento da Inesplorato) e mediação de Vanessa Oliveira (Diretora de Projetos Digitais VIU Hub).

A mesa começou com um vídeo mostrando várias opiniões que viralizaram, entre elas a de Anitta dizendo que não queria se posicionar politicamente – o evento foi um dia antes dela aderir à campanha #elenão nas redes sociais. “Um dos meus aprendizados recentes é que pr’além de influenciador é criador de conteúdo. Penso muito em como eu vou falar para atingir o melhor objetivo. Estou imersa no estudo sobre a minha palavra e uma das ilusões é a da isenção. Será que a gente está isento quando uma pessoa entende errado? Não, isso é ilusão. A gente tem responsabilidade pela fala”, diz Xongani.

Ainda no ViU HUB, teve painel provocador sobre as fake news, que começou loco com uma referência ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acusando o ex-presidente Barack Obama de ser o criador do Estado Islâmico. Assim como estamos vendo nessas eleições no Brasil, a campanha americana foi baseada na propagação de notícias falsas. Natuza Nery,  comentarista de política e economia da Globonews, mediou o debate e ressaltou a importância da educação para conter conteúdos falsos. “Nós vimos no vídeo um governante sendo autor de fake news. O poder público tem uma âncora de credibilidade muito forte, e quando esse poder propaga a notícia falsa, ele a legítima”, disse.

Participou da conversa Cristina Tardáguila, diretora da Agência Lupa, que trabalha checagem de dados. A Agência tem o “Lupa Educação” e pretende usá-lo para não só para os jovens, mas para a terceira idade, que acaba vendo só o whatsapp e não as checagens dos conteúdos falsos.

Afinal, dentro de um mercado tão novo que já ganhou tanta atenção é preciso ter cuidado com a palavra, com o compartilhamento e com quem consome o conteúdo. O YouPix Con mais uma vez chega para abrir olhos e cabeças para a evolução e o conhecimento em busca de fortalecer a produção de conteúdos digitais. Ao que parece, estamos só no começo desta caminhada. E como em qualquer outra, aprender e trocar nunca é demais.

Publicidade

Fotos: Leco de Souza


Gabriela Rassy
Jornalista enraizada na cultura, caçadora de arte e badalação nas capitais ensolaradas desse Brasil, entusiasta da cena musical noturna e fervida por natureza.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Eternit lança primeira linha de telhas que produzem energia solar