Arte

App com todo acervo da ‘Turma da Mônica’ desde os anos 1950 é lançado

por: Vitor Paiva

Os personagens de quadrinhos não envelhecem, mas ainda assim é de se espantar que uma das mais amadas historinhas brasileirinhas já esteja em sua sétima década de atividade. Criada por Maurício de Souza, a Turma da Mônica embala a imaginação e a infância de boa parte das crianças que cresceram por aqui desde os anos 1950 e até hoje. Para celebrar esse legado, um app foi criado em parceria entre a Maurício de Souza Produções e a editora Panini Comics, trazendo todo o acervo dos gibis desde os anos 1950.

O aplicativo funciona como uma espécie de Netflix em quadrinhos, oferecendo pacotes de assinaturas para interesses diversos dentro do gigantesco acervo oferecido.

É possível fazer a assinatura padrão, que inclui os gibis atuais de todos os personagens, por R$ 24,90; a assinatura Acervo, com as edições clássicas desde 1950 até 2016, por R$ 3,50; a assinatura somente da linha infanto-juvenil por R$ 16,90, e uma assinatura Internacional, também por R$ 16,90. As graphic novels especiais da Turma são vendidas individualmente pelo preço da capa.

Acima, a primeira tira em que Mônica aparece; abaixo, a primeira edição da primeira revista da Turma

O app, intitulado Banca da Mônica, oferece um pacote gratuito de 30 dias, para sentir um pouco o gostinho de poder mergulhar novamente – ou pela primeira vez – nesse imenso inventário do imaginário coletivo de nossas infâncias, independentemente da idade que se tem hoje. O App está disponível para iOS e Android, e o pagamento é feito através de um cadastro do Google Play ou do iTunes.

A versão jovem e repaginada da Turma

Publicidade

© artes: Maurício de Souza/reprodução


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
‘Eu queria que minha mãe se apaixonasse de novo’ | Do Amor #112