Debate

César Tralli é chamado de sem vergonha durante debate em SP

por: Redação Hypeness

O debate com os candidatos para o governo do Estado de São Paulo foi movimentado. O encontro exibido pela TV Globo na noite de terça-feira (2) teve, além das trocas de farpas entre João Doria (PSDB) e Márcio França (PSB), foi uma marcado por uma ofensa.

Ao indeferir um direito de resposta pleiteado por Luiz Marinho (PT) e Marcelo Cândido (PDT), após declaração de Doria, o mediador César Tralli foi chamado de sem vergonha por alguns membros da plateia.

“Silêncio, plateia, por favor. Não houve ofensa pessoal. Por favor, silêncio na plateia. Estamos encerrando aqui mais um bloco, todos os candidatos perguntaram. Por favor, voltem aos seus lugares”, disse o apresentador, enquanto tentava conter os gritos apaixonados da plateia, que mais parecia uma arquibancada.

Tralli teve trabalho para mediar o debate na Globo

Não adiantou nada e as pessoas continuaram com o burburinho. “Silêncio, por favor. Não houve ofensa. Nós vamos continuar com o debate”, decidiu César.

Eis que ao fundo surge o grito de sem vergonha”, captado pelos microfones no estúdio da TV Globo na capital paulista. O assunto deu o que falar nas redes sociais e as pessoas ficaram espantadas com a falta de educação dos presentes.

Lembrando que além de São Paulo, a Globo realizou debates em outras praças, como Bahia e Rio de Janeiro. Em ambos os estados o clima não foi nada amistoso. Inclusive, a apresentadora carioca Ana Paula Araújo foi chamada de Ana Paula Padrão por um dos postulantes. Na quinta-feira (4) é a vez dos candidatos à presidência da República.

 

Publicidade

Foto: Reprodução/TV Globo


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Ativista pela legalização da cannabis mostra como Uruguai quebrou tabus da planta