Debate

Roger Waters homenageia Moa do Katendê em show de Salvador

por: Redação Hypeness


A passagem de Roger Waters por Salvador foi marcante. O ex-membro do Pink Floyd fez show para 28 mil pessoas na Arena Fonte Nova e não deixou, mais uma vez, de se posicionar politicamente.

Assim como fez em São Paulo, Waters demonstrou sua posição contrária ao candidato do PSL à presidência. Ele manteve o nome de Jair Bolsonaro junto aos “neofascistas que comandam ou podem comandar grandes nações”. Ao lado, a mensagem censurado, lembrando das vaias recebidas por parte da plateia paulista.

Mas, em Salvador o show da turnê US and Them foi especial. Politicamente ativo há mais de 40 anos, Roger Water lembrou emocionado a memória do capoeirista Moa do Katendê.

Moa do Katandê foi morto por defender voto em Fernando Haddad

Perto do final do show, o telão foi ocupado com uma grande do soteropolitano de braços abertos. O momento deixou a plateia comovida e em meio aos gritos de #EleNão, Roger passou o recado.

“Eu quero apenas ter um momento para relembrar um dos seus. Esse é um grande artista local. Ele foi brutalmente assassinado durante o processo eleitoral e era um grande exemplo para todos nós em espalhar amor, humanidade e coragem”.

No perfil do Instagram, Roger Waters agradeceu novamente. “Lembrem-se do mestre Moa. Obrigado por uma noite emocionante, Salvador”.

Moço lindo do Badauê

Moa do Katendê foi morto em um de Salvador por causa de uma discussão política. Depois de defender voto no candidato Fernando Haddad (PT), o agitador cultural foi golpeado com 12 facadas desferidas por Paulo Sérgio Ferreira de Santana, defensor de Jair Bolsonaro, representante da extrema direita.

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa concluiu que o assassinato de Moa do Katendê teve motivações políticas. Um primo de Moa também foi atingido pelas facadas.

Desde o acontecimento, no bairro do Engenho Velho da Federação, Salvador e o Brasil se uniram para homenagear o legado do agitador cultural. Em São Paulo, um ato realizado na Praça da República distribuiu placas com o nome de Moa.

Representantes culturais de Salvador se uniram no Pelourinho para lembrar Moa

No Largo do Pelourinho, em Salvador, centenas de pessoas se reuniram nas escadarias da Fundação Casa de Jorge Amado para celebrar Moa. Representantes do Ilê Aiyê, Filhos de Gandhi, Muzenza, entre outros, marcaram presença. Familiares e capoeiristas da cidade também prestaram respeitos.

Em entrevista ao Hypeness no dia do acontecimento, a cantora Juliana Ribeiro e mostrou chocada com a morte provocada pelo ódio político. “As pessoas precisam entender que a gente perdeu o mestre. Um cara generoso, que fazia o que muita gente não faz. Ele tá suprindo a ausência do Estado. Ele queria fazer esse papel por ser uma alma boa”.

View this post on Instagram

“Mestre Moa do Catendê foi morto ontem, em Salvador, por um homem tomado de fúria assassina em meio a uma discussão sobre as eleições que acabavam de acontecer. Com ele um sobrinho seu que se encontra num hospital em estado grave. Ele, homem de dedicada atuação entre as comunidades da cultura popular da cidade, foi o idealizador do bloco Afoxé Badauê que encantou os carnavais de rua da Bahia, alguns anos atrás. Torna-se uma das primeiras vítimas fatais dessa devastadora onda de ódio e intolerância que nos assalta nesses dias de hoje. Nosso luto e nossa esperança de que a sua imolação não tenho sido em vão e que nos ajude a encontrar a pacificação logo ali adiante!" #GilbertoGil

A post shared by Gilberto Gil (@gilbertogil) on


Assim como Gilberto Gil, abalado com a notícia, Caetano Veloso – que fez músicas inspiradas em Moa do Katandê e no Bloco Badauê, fundado pelo capoeirista, manifestou pesar e indignação com o acontecimento. O artista baiano gravou uma música em homenagem ao amigo.

“Môa era meu amigo e foi uma das figuras centrais na história do crescimento dos blocos afro de Salvador. Estou de luto por ele. Môa do Katendê, a quem devo a revelação que foi ver e ouvir o grupo de pessoas na rua cantando ‘Misteriosamente o Badauê surgiu’, foi morto a facadas por ter dito que votará em Haddad. O assassino, um bolsonarista apaixonado, foi encontrado quando tentava fugir”, declarou Caetano.

Publicidade

Fotos: foto 1: Reprodução/Twitter/benedi_to/foto 2: Reprodução/TV Bahia 


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Presidente contesta aumento de pena para maus-tratos aos animais e fará enquete no Facebook