Debate

Equipe de Bolsonaro tem estelionatário denunciado 3 vezes na Maria da Penha

por: Redação Hypeness

Publicidade Anuncie

Na última segunda-feira (5), a Casa Civil confirmou os 28 nomes que vão integrar a equipe de transição do futuro governo Bolsonaro (PSL). Além da ausência de mulheres, a presença de Julian Lemos casou polêmica.

Deputado eleito e atual vice-presidente nacional do PSL, o homem já foi acusado três vezes e chegou a ser preso pela Lei Maria da Penha. Tem mais, Julian foi condenado em primeira instância por estelionato, porém o caso prescreveu antes de ser julgado em segunda instância.

Em 2011, Julian Lemos lidou com acusação de participação em um caso envolvendo uma certidão falsa fornecida pela empresa GAT Segurança e Vigilância. O documento teria sido utilizado para a prestação de serviços à Secretaria de Educação e Cultura da Paraíba, em 2004. O deputado nega qualquer irregularidade.

Acusado de estelionato, Julian Lemos é um dos homens fortes do presidente

Denúncias na Lei Maria da Penha

Além das alegações de corrupção, Lemos é citado em três ações na Lei Maria da Penha. Descrito por Jair Bolsonaro como “um amigo de primeira hora”, o membro do PSL foi denunciado pela ex-mulher, Ravena Coura e a irmã.

Publicidade

A primeira queixa aconteceu em 2013, quando Julian acabou preso em flagrante. Ravena disse ter sido agredida fisicamente e ameaçada com uma arma de fogo. Em 2016, ela procurou a polícia. Posteriormente, ambas as denúncias foram retiradas pela mulher, que afirmou ter exagerado nas “palavras e falado além do ocorrido”.

Lemos é um dos 28 homens na equipe de transição de Bolsonaro

A ação protocolada pela irmã segue correndo no Tribunal de Justiça da Paraíba. Kamila Lemos contou à polícia que além de ofendida, foi agredida fisicamente pelo irmão com murros e empurrões quando tentava acabar com uma briga entre ele a então esposa. Laudo do IML confirma que ela apresentava escoriações no pescoço, ombro e braço.

Ao Congresso em Foco, Lemos nega todas as agressões. Sobre a irmã, ele explica que por ela morar fora do Brasil, ainda não teve tempo de “desistir oficialmente da ação”.

“É um assunto ultrapassado, requentado e acabado. Já fui absolvido, as pessoas se retrataram. Vocês da mídia têm de procurar outra assunto porque esse aí já se foi”, replicou.

Deram suas caneladas

Julian Lemos nasceu em Campina Grande. O empresário foi registrado como Gulliem Charles Bezerra Lemos. O deputado federal é considerado o principal articulador de Jair Bolsonaro no Nordeste.

Durante sua filiação em março ao PSL, Bolsonaro falou indiretamente sobre os processos de agressão. O ex-militar argumentou que muitos de seus aliados “deram suas caneladas, como o Julian Lemos aqui e são pessoas que somam o nosso exército”.

Publicidade Anuncie

Fotos: Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Talude de mina pode romper domingo; barragem da Vale em MG está ameaçada