Debate

Esta jornalista sofreu racismo quando tentava entrar no prédio onde mora

por: Redação Hypeness

Isabella Barboza é uma jovem negra de 24 anos. A estudante de jornalismo trabalha como assistente administrativa do portal jurídico Justificando e há dois meses vive em um apartamento no bairro de classe média alta de Pinheiros, em São Paulo.

O fato de uma mulher negra transitar nestas ruas fora do horário comercial foi o suficiente para o racismo atacar. Imagine só, ao tentar entrar na própria casa, a jovem teve que aturar o constrangimento de um homem branco e idoso. O prédio não tem porteiro e cada morador abre o portão com a própria chave. Mas, para a mentalidade racista do senhor, uma mulher negra como Isabella não poderia viver em Pinheiros.

Isabella foi vítima de racismo quando tentava entrar na própria casa

De fato, Pinheiros possui apenas 7,3% de negros. Enquanto Parelheiros, bairro no extremo sul da cidade, abriga mais de 55% de afro-brasileiros. Ou seja, para o senhor, Isabella deveria estar bem longe dali. Tem um estudo interessante sobre isso aqui no Hypeness.

A ação racista aconteceu no último sábado (24). Pelo Facebook, a jornalista contou que o senhor e seu acompanhante se mostraram incomodados com sua presença, sobretudo com o fato de que ela morava no mesmo prédio que eles.

“Ao entrar no prédio junto com eles, onde fica minha casa e que pago um aluguel nada barato, fui questionada se morava no prédio, pelo senhor de mais idade – um homem grosso e que ainda tentou fechar o portão em cima de mim. Respondi que sim. Mesmo assim ele se posicionou na minha frente, impedindo minha passagem. Detalhe eu estava mais arrumada que a própria Michelle Obama”.

Pinheiros é o típico bairro branco de classe média em SP

Isabella propôs uma reflexão importante sobre o modo de agir. Com medo do constrangimento provocado pela ação criminosa, muitas pessoas negras procuram sair de casa sempre bem vestidas. Porém, nem sempre a tática funciona. A mentalidade racista determina os lugares certos para pessoas negras e brancas.

A jornalista diz que não prestar boletim de ocorrência contra o senhor, porque além de não confiar na Justiça, não tem dinheiro para sustentar o processo.

Publicidade

Fotos: Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Após morte de blogueira, Whindersson Nunes pede: Não julgue a depressão alheia