Debate

Esta thread do Twitter cria uma interpretação completamente nova para ‘Dom Casmurro’

14 • 11 • 2018 às 08:06
Atualizada em 14 • 11 • 2018 às 09:14
Vitor Paiva
Vitor Paiva   Redator Vitor Paiva é jornalista, escritor, pesquisador e músico. Nascido no Rio de Janeiro, é Doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Trabalhou em diversas publicações desde o início dos anos 2000, escrevendo especialmente sobre música, literatura, contracultura e história da arte.

Publicado em 1899, o romance Dom Casmurro, de Machado de Assis, é não só uma das mais reluzentes obras da literatura brasileira como de todo o mundo. A história de Bentinho e seu amor por Capitu vai muito além do ciúme obsessivo que fomenta pela relação de sua amada com Escobar, seu melhor amigo. Ainda que o mistério sobre se Capitu teria ou não traído Bentinho seja a trama central da obra, a verdade é que Dom Casmurro é um retrato profundo sobre a época, a moralidade, a complexidade dos sentimentos humanos, em um trabalho tão rica e aberta quanto pode ser uma verdadeira obra-prima.

Folha de rosto da primeira edição de Dom Casmurro

Um livro de tal quilate se mantém nos oferecendo novas possibilidades, caminhos, leituras e sentidos mesmo passado mais de um século de sua publicação – e foi o que fez Rosa de Nagasaki, uma usuária do Twitter que, em sua conta, publicou uma interessantíssima leitura pessoal de uma camada um tanto velada desse que é considerado um dos pontos altos da obra de Machado.

Publicidade

© fotos: divulgação/reprodução


Canais Especiais Hypeness