Debate

Paulo Guedes quer acabar com investimento em cultura pelo Sesc

por: Redação Hypeness

Considerado o cérebro e centro nervoso do governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), Paulo Guedes propõe mudanças radicais na economia nacional. De acordo com a coluna de Lauro Jardim no jornal O Globo, o futuro Ministro da Fazenda vai reformular um dos principais fomentadores da cultura nacional.

Responsável pela gestão de entidades como Sesc, Sebrae, Sesi, Senai, entre outras, o Sistema S deve sofrer alterações durante a gestão do economista na pasta da Fazenda.

“Entre as mudanças previstas está o fim de patrocínios que nada tenham a ver com a formação e a capacitação de trabalhadores”, diz trecho da coluna.

Bolsonaro e Guedes pretendem acabar com o Ministério da Cultura

A notícia causou apreensão, pois o Sesc, por exemplo, é historicamente conhecido pela atuação na promoção e democratização do acesso à cultura. Presente em diversas cidades do país, a instituição promove shows, exposições e cursos.

Ao todo, nove instituições de interesse de categorias profissionais fazem parte do Sistema S, que foi estabelecido pela Constituição Federal. A criação foi embasada também na promoção gratuita de formação profissional e acesso ao lazer e cultura.

Durante o governo de Dilma Rousseff (PT), o então Ministro da Fazenda, Joaquim Levy, tentou reter 30% do valor recebido pelo Sistema S para o pagamento de contas públicas. A ideia não deu certo em função da posição contrária de empresários, que associavam a medida com o não atendimento de cerca de 3 milhões de pessoas.

As contribuições ao Sistema S são feitas por meio da folha de salário das empresas conveniadas. Os descontos acontecem regularmente e em seguida são repassados às entidades para o financiamento de atividades visando o aperfeiçoamento profissional, cultura, saúde e lazer dos trabalhadores.

Fim do Ministério da Cultura

Nem bem começou e a gestão de Jair Bolsonaro está causando calafrios entre fomentadores de cultura. Em entrevista em Curitiba antes de almoço com apoiadores, o futuro presidente defendeu a extinção do Ministério da Cultura. A ideia é transformar o órgão em uma secretaria do Ministério da Educação. 

“Nós vamos extinguir o Ministério da Cultura e teremos apenas uma secretaria para tratar do assunto. Hoje em dia, o Ministério da Cultura é apenas centro de negociações da Lei Rouanet”, disse o então pré-candidato à presidência pelo PSL.

Logo início de sua gestão, Michel Temer (MDB) chegou anunciar o fim do Ministério da Cultura. Mas, acabou recuando diante da pressão exercida por artistas e educadores.

Publicidade

Foto: Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Polícia prende homem com câmera no tênis para filmar partes íntimas de mulheres no metrô