Sustentabilidade

Uma ilha japonesa acaba de desaparecer no Oceano Pacífico vítima do aquecimento global

por: Redação Hypeness

Publicidade Anuncie

Falamos aqui sobre como São Paulo ultrapassou a meta de aquecimento global e os graves efeitos que isso pode ocasionar na cidade. E, enquanto algumas ilhas de lixo surgem no Oceano Pacífico, há outras que acabam de desaparecer devido às mudanças climáticas. É o caso da ilha japonesa Esanbe Hanakita Kojima.

O aquecimento global causa um aumento no nível do mar, que ameaça áreas costeiras. O desaparecimento de Esanbe Hanakita Kojima passou despercebido e só foi notado recentemente pelo escritor Hiroshi Shimizu, que está escrevendo um livro sobre ilhas escondidas do Japão e teria visitado a região para estudá-las.

Mapa da ilha desaparecida no Japão (área do círculo tracejado). Foto: Maxilmilian Dörrbecker (Chumwa)/Wikimedia Commons

Entretanto, embora a ilha tenha sido catalogada em 2014, a última vez que o território foi visitado oficialmente data de 1978, segundo a Revista Galileu. Isso significa que o pedaço de terra pode ter desaparecido há décadas.

De acordo com o Global Citizen, autoridades de pesca na região confirmaram o desaparecimento de Esanbe Hanakita Kojima, que teria sido “tragada pelo mar”. A guarda costeira do Japão deve analisar o ocorrido nas próximas semanas.

A ilha estava localizada ao nordeste do Japão e ocupava menos de dois quilômetos de extensão. Felizmente, o local não era habitado, mas o desaparecimento serve como um alerta para outras regiões costeiras que podem estar com os dias contados.

Veja também: 10 lugares para visitar antes que eles sumam do mapa

Publicidade Anuncie

Créditos das fotos sob as imagens


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
O e-commerce que encontrou na venda de lixo uma fonte sustentável de lucro