Futuro

Chicago quer usar legalização total da maconha para ‘reformar’ a previdência

19 • 12 • 2018 às 10:42
Atualizada em 05 • 06 • 2019 às 22:50
Vitor Paiva
Vitor Paiva   Redator Vitor Paiva é jornalista, escritor, pesquisador e músico. Nascido no Rio de Janeiro, é Doutor em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio. Trabalhou em diversas publicações desde o início dos anos 2000, escrevendo especialmente sobre música, literatura, contracultura e história da arte.

Os argumentos pela legalização da maconha hoje se acumulam de tal forma que a pauta, outrora polêmica, cada vez mais deixa de ser um debate para se tornar um tema óbvio, diante do mar de melhorias e benefícios que o fim da proibição traz.

Um argumento favorável, porém, vêm funcionando especialmente em um país como os EUA: a imensa arrecadação de impostos que esse novo mercado legalizado pode trazer – e foi esse o ponto que o prefeito de Chicago recentemente defendeu.

O prefeito de Chicago, Rahm Emanuel

A legalização do uso recreativo da maconha serviria especialmente para que a cidade pudesse pagar as altas pensões e aposentadorias devidas sem precisar pesar ainda mais no bolso do contribuinte. Para isso, o prefeito Rahm Emanuel pretende pressionar o estado de Illinois à legalização da erva. Chicago vem enfrentando uma extensa crise para conseguir pagar suas pensões – estima-se que em 2020 a cidade terá de pagar cerca de 276 milhões de dólares.

Skyline de Chicago

O estado de Illinois descriminalizou a maconha em 2016, e atualmente o uso medicinal da maconha é permitido. O desejo de legalização do uso recreativo vai de encontro com os compromissos de campanha sugeridos pelo governador eleito do estado, J. B. Pritzker, que lembrou que a mudança pode trazer até 700 milhões de dólares em arrecadação.

Outra sugestão do prefeito é a construção de um cassino na cidade, para a elevação de fundos para o pagamento das pensões e aposentadorias.

 Pelo jeito, reforma da previdência é tendência mundial. Mas as soluções sugeridas são bem diferentes.

Publicidade

© fotos: divulgação


Canais Especiais Hypeness