Debate

Damares Alves revela ter sido estuprada por pastor “ele ia ao meu quarto à noite”

por: Redação Hypeness

Futura ministra do governo de Jair Bolsonaro (PSL), Damares Alves deu detalhes sobre o estupro sofrido na infância. Ela diz que os casos aconteceram quando tinha entre seis e oito anos.

Damares estava emocionada e disse que um pastor entrava no quarto para praticar a violência sexual. “O primeiro abusador foi às vias de fato. Fui estuprada por dois anos. Ele dizia que eu era ‘enxerida’, que a culpa era minha e, se falasse, meu pai morreria”, revelou em entrevista ao UOL.

Na segunda situação de estupro, Damares Alves explicou que o abusador chegou a ejacular no seu rosto. “Falar sobre isso me dói, me expor custa demais, mas entendo que preciso passar a mensagem que sobrevivi”.

Damares é mais uma vítima de casos de estupro

A futura ministra da pasta de Mulheres, Família e Direitos Humanos foi alvo de uma série de polêmicas e críticas nas últimas semanas por declarações sobre aborto, papel da mulher e o surgimento de um vídeo antigo onde fala sobre ter visto Jesus em um pé de goiabeira.

No entanto, pouco se debateu sobre os efeitos dos abusos sexuais sofridos na infância. Damares diz que aos 10 anos pensou em se matar e subiu num pé de goiabeira para tomar veneno. Ela conta que desistiu porque “viu Jesus”.

A youtuber Gabi Oliveira deu sua opinião sobre o tom de chacota em uma série de tuítes.

Depois, ela falou sobre o respeito religioso. Afinal, quem tem fé acredita no que quiser, não é?

Algumas mulheres debateram também o fato dela ter sido estuprada na infância e o quanto isso pode ser difícil.

Publicidade

Foto: EBC


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Xuxa sai em defesa de trabalho voluntário de Sasha na África