Debate

Tatá Werneck pede que Carrefour ajude ONGs de causas animais: ‘Para vocês, não é muito’

por: Redação Hypeness

Publicidade Anuncie

A postura adotada pelo Carrefour diante da morte de um cachorro nas dependências da loja de Osasco, na Grande São Paulo, não agradou. A rede de supermercados foi alvo de críticas de ativistas e personalidades como Tatá Werneck, que se ofereceu para fazer uma lista de ONGs que poderiam receber doações da empresa.

“Pra vocês não é muito. Pra eles é”, escreveu em sua página no Twitter. A postagem já recebeu mais de 35 mil curtidas.

Tatá usou seu perfil nas redes sociais para manifestar sentimentos contrários ao método usado pelo Carrefour para se posicionar. Além de ter se atrapalhado na comunicação, a companhia emitiu uma única nota sobre o assunto. Não pegou bem.

É possível ver um homem de terno preto afastando o cachorro

“Vocês já copiaram e colaram essa mensagem mil vezes. Se repudiam como nos, que tal aproveitarem que aconteceu essa tragédia e ajudarem ONGs que ajudam animais abandonados?”

A apresentadora revelou ter recebido um e-mail do Carrefour comunicando o interesse de ajudar organizações de proteção aos animais. No entanto, pediu que a intenção fosse publicizada.

A mesma pessoa aparece aqui com uma barra de ferro nas mãos

“A empresa @carrefourbrasil mandou E-mail com sua declaração. Mas esta declaração deve ser pública. Não é só pra mim. Disseram que querem ajudar ONGs. Posso passar uma lista de ongs pra vocês?”

O perfil do Carrefour respondeu o questionamento, reafirmando a intenção de ajudar. Pediu ainda sugestões de ONGs para Tatá.

Mancha foi morto no estacionamento do Carrefour da Avenida dos Autonomistas, em Osasco. Pelo menos cinco vídeos que circulam na internet mostram o animal fugindo de um segurança vestindo terno preto. O mesmo homem reaparece na cena com uma barra de ferro e minutos depois o cão é visto correndo, já sangrando, em busca de abrigo.

A morte de Mancha gerou comoção nacional

O animal não resistiu aos ferimentos e morreu em decorrência de uma hemorragia interna. Segundo testemunhas, Mancha teria sido envenenado. O Carrefour chegou a dizer que o cachorro foi atropelado.

Foi instaurado um inquérito civil para apurar a ocorrência. O promotor de Justiça Marco Antônio Souza afirma ser “dever do Estado, segundo a lei, proteger todos os animais”. O caso pode ser enquadrado como crime previsto na Lei dos Crimes Ambientais.

Por meio de nota, o Carrefour repudiou a situação e os maus-tratos aos animais. Explicou também que está aguardando o desdobramento das investigações.

Publicidade Anuncie

Fotos: Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
O grupo de vítimas do médico Roger Abdelmassih ajudou a denunciar João de Deus