Debate

Baiano filho de desaparecido faz vaquinha para viajar até Brumadinho

por: Redação Hypeness

Ismael é filho de Ademário Bispo, de 51 anos. O jovem de 23 anos mora em Santo Amaro da Purificação (BA) e está realizando uma vaquinha para conseguir viajar até Brumadinho e acompanhar as buscas pelo pai, um dos 292 desaparecidos depois do rompimento de uma barragem da Vale no Córrego do Feijão.

Ademário trabalhava há seis meses como mecânico montador na Reframax Engenharia, empresa terceirizada da Vale. Sem notícias do pai, Ismael e familiares reclamam da falta de assistência. Segundo ele, nenhuma das empresas entrou em contato para oferecer auxílio ou até mesmo cobrir os custos da viagem para Brumadinho. A família também procura por Alex Mário Moraes Bispo, de 22 anos. Ele é primo de Ademário.

Ismael reclama da falta de assistência da Vale e da Reframax Engenharia

Bastante preocupado, Ismael explica que o pai se mudou de Santo Amaro da Purificação há cerca de um ano e seis meses. Por causa dos altos custos da passagem, eles não se viam com frequência.

“Está todo mundo angustiado lá em casa. Estamos sem conseguir dormir. A prefeitura de nossa cidade pediu pra gente esperar até amanhã [segunda-feira], mas a dor da família não espera. Só meu irmão está lá e eu também preciso ir”, disse Ismael ao UOL.

O jovem conta que o irmão, Natan Nael de Jesus Bispo morava com o pai em Mário Campos, 14 quilômetros distante de Brumadinho.

Embora a Vale diga o contrário, Ismael informa que não consegue falar com representantes da Reframax Engenharia. Ele relata que teve uma conversa com um membro da companhia, que garantiu o pagamento das passagens. “Ele disse que teriam uma reunião agora à tarde. Só que a gente liga pro celular que ele nos forneceu e cai na caixa”, reclama.

A tragédia humana e ambiental é sem tamanho

Tanto a Reframax quanto a Vale se dizem solidárias com as vítimas e que estão prestando assistência aos familiares. A Vale informa que 58 pessoas trabalham no Córrego do Feijão.

“A Reframax se solidariza com todas as vítimas e suas famílias. A empresa está se mobilizando para prestar assistência aos familiares dos colaboradores, com equipes de assistências social e psicológica”.

A Prefeitura de Santo Amaro da Purificação se manifestou nas redes sociais sobre o caso, citando Ismael e outros dois santamarenses desaparecidos: Ednilson dos Santos Cruz e George Conceição de Oliveira.

“Torcemos para que Alex, Ednilson, George e Ademário sejam encontrados logo e voltem para seus lares sãos e salvos”.

O rompimento da barragem da Vale pode ser o maior da história. O número de vítimas, segundo o Corpo de Bombeiros, é de 68 pessoas até o momento e outras 292 estão desaparecidas no mar de lama.

O Corpo de Bombeiros admite que as chances de encontrar pessoas com vida na Mina do Córrego do Feijão é muito pequena.

“Como a tragédia envolve lama, que é um tipo de material que ocupa muito espaço, é diferente de quando a gente tem algum tipo de desabamento em que há bolsões de ar e é provável encontrar sobreviventes. Com a lama isso é muito difícil de acontecer. Mas ainda trabalhamos com todas as possibilidades, para garantir que essas pessoas retornem o mais rápido possível para as suas famílias. Entendemos a angústia das famílias, mas é uma área de busca de 10km e milhões de metros cúbicos de minério”, explica o tenente Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros.

“A gente quer respostas”, dizem os familiares de desaparecidos em Brumadinho. O clima na cidade mineira é de desespero e desinformação.

Uma mulher perdeu a paciência e reclamou da maneira que era tratada. “Eu não estou esperando o resultado de um concurso público não! Se o meu marido não tem valor para vocês, ele tem para mim! É meu esposo, pai da minha filha, filho da minha sogra! Ele é um simples funcionário de vocês, substituível, mas para mim ele não é”, gritava a esposa de um funcionário terceirizado da Vale.

A Vale disse em nota que disponibilizou acomodações para mais de 800 pessoas, 40 ambulâncias e um helicóptero para auxiliar o resgate.

A Reframax se pronunciou em nota reproduzida abaixo na íntegra:

A Reframax Engenharia esclarece que contatou as famílias de todos os colaboradores
que atuavam na obra da Mina Córrego do Feijão, desaparecidos, falecidos e
sobreviventes. Especificamente para quatro colaboradores desaparecidos residentes
em Mário Campos/MG e com parentes em Santo Amaro/BA, foi disponibilizado apoio
logístico e financeiro, permitindo o acompanhamento do trabalho de buscas.
A empresa operava na Mina com um efetivo de 59 colaboradores. Após o rompimento
da barragem de rejeitos, no dia 25, 22 integrantes da equipe foram localizados com
vida e 34 permanecem desaparecidos. Infelizmente, três colaboradores tiveram
falecimentos confirmados. Entre os sobreviventes, 21 estão em casa e uma pessoa
segue hospitalizada, mas estável.
O contrato da Reframax com a Vale refere-se a serviços de construção civil e
montagem eletromecânica para adequação do Sistema de Proteção de Combate a
Incêndio (SPCI).
A Reframax se solidariza com todas as vítimas e seus familiares, e segue
acompanhando o trabalho de buscas. Além da visita, psicólogos e assistentes sociais
estão atuando no suporte aos familiares, inclusive com atendimentos no Instituto
Médico Legal e na base de atividades em Brumadinho. O telefone (31) 99590-3033
permanece disponível para contato dos familiares.

Publicidade

Fotos: foto 1: Reprodução/foto 2: EBC


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Coronavírus: Luisa Mell é surpreendida por marido que volta mais cedo de internação