Inspiração

Bruna Linzmeyer fala sobre decisão de não se depilar, “sempre doeu muito”

por: Redação Hypeness


Não faz muito tempo que Bruna Linzmeyer era tratada pela mídia e boa parte do público com o já gasto status de ‘musa’. Talvez o que as pessoas nem fizessem ideia é que a jovem não se sentia confortável nesse papel. Em postagem recente no Instagram, ela desabafou sobre a depilação. Uma das várias imposições sociais contra mulheres.

“Sempre doeu muito, mas sempre achei que aquilo era o certo e o belo a ser feito”, escreveu.

Bruna conta que a decisão de não depilar mais as axilas veio quando começou a não julgar mulheres que tinham pelos. “Nos últimos anos, entendendo a construção dessa visão, me esforcei para ver os pelos de outros jeitos possíveis. Comecei a achar mais que libertador, a achar bonito”, refletiu.

Viva a liberdade!

Com o passar do tempo, a estrela da novela O Sétimo Guardião, percebeu o quão libertador poderia ser a atitude de ir contra o que é imposto pelo sistema. Bruna realizou que o corpo era dela. Poderia fazer o que quisesse.

“O que eu realmente queria no meu corpo, nunca antes eu tinha me feito essa pergunta. Por algumas vezes, respondi a mim mesma que preferia raspar. Estava feliz com minha escolha. Mas, mais ainda, estava feliz em poder escolher raspar. Porque, durante todos aqueles anos eu não escolhia, eu só raspava, achava que era obrigatório mulher arrancar os pelos”.

Bruna pode fazer o que bem entender com o seu corpo

Falando em sociedade, Bruna explica que mergulhou de cabeça no processo de análise da relação de homens e mulheres com os corpos e como eles são encarados pelas outras pessoas. Conclusão, ser do sexo masculino é bem mais fácil.

Comecei a olhar para os homens e achar estranha essa diferença só por uma questão de serem homens x mulheres. E continuei me perguntando, feliz com meu poder de me perguntar: o que eu quero? o que eu gosto? Um dia essa resposta foi diferente. Fiquei com vontade de experimentar ter eles. Ver eles em mim. Tocar neles enquanto passo creme no corpo. Não ter mais que lidar com aquela dor insuportável, nem com o preço da depilação, nem com o tempo gasto nisso, nem com aqueles chatíssimos pelos encravados. E de um jeito que eu não esperava, comecei a achar muito bonito pelos em mim também.

Para terminar, Bruna Linzmeyer deixou um recado aos que insistem em criticar atitudes de pessoas que estão em busca de autoconhecimento e liberdade. “Aprendi que liberdade e amor é respeitar a escolha das outras pessoas, quando essas escolhas não violentam ninguém. E poder acessar meu coração e responder sem amarras: o que eu quero? o que eu gosto? de que jeito me sinto bem?”, pontuou ela, que encerrou usando a hashtag #livresim.

View this post on Instagram

comecei a fazer depilação com cera muito novinha. sempre doeu muito. mas sempre achei que aquilo era o certo e o belo a ser feito. nos últimos anos, entendendo a construção dessa visão me esforcei pra ver os pêlos de outros jeitos possíveis. comecei não julgando as mulheres que tinham pêlos, entendendo que cada uma faz o que tem vontade com seu próprio corpo. depois, aos poucos, comecei a achar libertadora essa vontade e atitude delas. e me perguntar o que eu realmente queria no meu corpo, nunca antes eu tinha me feito essa pergunta. por algumas vezes, respondi a mim mesma que preferia raspar. estava feliz com minha escolha. mas mais ainda, estava feliz em poder escolher raspar. porque, durante todos aqueles anos eu não escolhia, eu só raspava, achava que era obrigatório mulher arrancar os pêlos. comecei então a achar mais que libertador, a achar bonito, outras mulheres com pêlos. comecei a olhar para os homens e achar estranha essa diferença só por uma questão de serem homens x mulheres. e continuei me perguntando, feliz com meu poder de me perguntar: o que eu quero? o que eu gosto? um dia essa resposta foi diferente. fiquei com vontade de experimentar ter eles. ver eles em mim. tocar neles enquanto passo creme no corpo. não ter mais que lidar com aquela dor insuportável, nem com o preço da depilação, nem com o tempo gasto nisso, nem com aqueles chatíssimos pelos encravados. e de um jeito que eu não esperava comecei a achar muito bonito pêlos em mim também. aprendi que liberdade e amor é respeitar a escolha das outras pessoas, quando essas escolhas não violentam ninguém. e poder acessar meu coração e responder sem amarras: o que eu quero? o que eu gosto? de que jeito me sinto bem? ♡ #livresim

A post shared by bruna linzmeyer (@brunalinzmeyer) on


Publicidade

Fotos: Reprodução/Instagram


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Este gato abriu a porta de abrigo, soltou os parças e foi colocado na solitária