Ciência

Credo, que delícia: Este tipo raro de queijo é infestado por larvas vivas

por: Vitor Paiva

Muitos queijos são chamados ilustrativamente de “podres” por seus fortes odores e sabores intensos. Há, porém, um queijo produzido na região da Sardenha, na Itália, ao qual tal denominação é realmente literal: seu nome, Casu Marzu, quer dizer “queijo podre” em sardo. Seu apelido popular, porém, ilustra ainda melhor o motivo pelo qual esse queijo é conhecido como “o mais perigoso” do mundo: o queijo podre da Sardenha é popularmente chamado de “queijo de verme”.

O “queijo podre” da Sardenha

Sim, é isso mesmo que o apelido sugere: o sabor peculiar, forte e picante, assim como sua textura cremosa, vem do emprego de larvas vivas de mosca em sua maturação. Derivado do queijo Pecorino, o Casu Marzu vai além da fermentação, chegando a um estágio de quase decomposição, produzido pela ação digestiva das milhares de larvas da mosca-do-queijo, colocadas deliberadamente no queijo. Ao longo de 2 a 3 meses, as larvas comem o queijo e depois o excretam novamente – e assim nasce o Casu Marzu. Quem prova garante que o sabor é inigualável, mas há casos de infecções extremas.

Não é por acaso, portanto, que esse queijo é hoje proibido, sendo produzido na região somente para consumo próprio. Os produtores locais garantem que a larva não continua a viver dentro de quem consome o queijo – e o consumo de eventuais larvas mortas é considerado ainda mais tóxico.

Segundo consta, porém, o queijo mais perigoso do mundo pode ser adquirido em mercados ilegais da Sardenha por preços exorbitantes. Pensando bem, para correr tal risco, o sabor há de ser realmente delicioso. Alguém tem coragem?

Publicidade

© fotos: Divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Estudo com 30 anos e 12 mil participantes diz que dieta vegana faz muito bem ao coração