Debate

Curta indicado ao Oscar provoca controvérsia ao recriar assassinato de criança na Inglaterra

por: Vitor Paiva

A indicação do filme “Detainment” ao Oscar de melhor curta-metragem vem provocando intenso debate a respeito não só da premiação como da própria feitura do filme. O motivo é controverso: o filme conta a história do assassinato do menino britânico James Bulger, que em 1993 aos 2 anos de idade foi barbaramente morto por duas crianças de 10 anos, e foi feito sem qualquer permissão ou mesmo contato com a família de Bulger. Diante da presença do filme entre os indicados, mãe de James veio a público em um post.

O pequeno James Bulger

“Eu não consigo expressar o quanto estou enojada e perturbada por esse suposto filme ter sido feito e agora ser indicado ao Oscar. Uma coisa é fazer um filme sem contatar ou a permissão da família de James, mas outra coisa é ter uma criança reencenando as horas finais da vida de James, antes dele ser brutalmente assassinado e fazer a mim e minha família ter de reviver tudo isso”, escreveu Denise Fergus no Twitter.

A mãe de James, Denise

“Depois de tudo que eu disse e de ter pedido que fosse removido, o filme ainda é indicado ao Oscar mesmo com uma petição assinada por 90 mil pessoas”, ela seguiu, no Twitter. O filme recria, a partir das gravações originais, tanto o crime quanto o depoimento dos dois assassinos.

James foi raptado por Robert Thompson e Jon Venables, ambos então com 10 anos, de um shopping nos arredores de Liverpool, e em seguida foi espancado até a morte com tijolos e uma barra de ferro. Câmeras de segurança permitiram que a polícia não só identificasse os criminosos como encontrasse o corpo. O crime alterou as leis britânicas, e os dois responsáveis se tornaram os mais jovens condenados por assassinato na Inglaterra. Após passarem 8 anos de detenção em um reformatório, aos dois foi concedida a liberdade e novas identidades. Venables foi preso outras duas vezes, uma delas por posse de imagens de abusos infantis em seu computador.

Detalhe do pôster do filme

O filme foi dirigido pelo irlandês Vincent Lambe, que afirmou ter o feito para tentar compreender o motivo pelo qual duas crianças de 10 anos cometeram um crime tão terrível. Lamentando não ter avisado à mãe da criança sobre a feitura do filme, o diretor observou que “se não entendermos a causa disso, é provável que algo parecido volte a ocorrer no futuro”.

Os dois atores que encenaram no filme os assassinos

Publicidade

© fotos: reprodução/divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Maisa reflete sobre empoderamento e autoestima: “Não dá pra romantizar aceitação”