Roteiro Hypeness

Fomos na megaexposição de Quadrinhos do MIS e trazemos notícias direto da Batcaverna

por: Gabriela Rassy

O MIS abre mais uma de suas megaexposições, desta vez dedicado completamente à 9ª arte, as histórias em quadrinhos. Bastante completa e com referências que começam lá nas cavernas e chegam até os dias de hoje, a mostra Quadrinhos mistura super-heróis, infantis, terror, aventura, romance, mangá, faroeste e muitos outros gêneros para contar a importância das HQs na cultura tanto do Brasil quanto de fora. A curadoria ficou por conta de Ivan Freitas da Costa, sócio-fundador da CCXP e da Chiaroscuro Studios, e o projeto expográfico com a Caselúdico.

A megaexposição Quadrinhos é daquelas retrospectivas que emociona qualquer um. Ainda que você não seja aficcionado por essas histórias, elas fizeram parte de algum momento da sua vida. Duvida? Então vem comigo que te mostro cada uma das parques que mais me emocionaram. Listei aqui então os detalhes imperdíveis para te orientar na visita que passa por mais de 600 itens relacionados a este universo.

Nos subterrâneos com o Cavaleiro das Trevas

A parte da mostra que mais me fez virar criança – de verdade – foi a BatCaverna. Estamos falando aqui de uma réplica maravilhosa do ambiente, com a mesa de controle em frente a uma série de telas com informações de cada um dos arqui-inimigos, uma cadeira giratória e exemplares de figurinos. Um detalhe delicadíssimo é um molde do Batman que tem logo na entrada para que pessoas com deficiência visual possam sentir o personagem com as mãos.

Os causos de Ziraldo

Ainda dentro das salas temáticas, tem um quarto só do Ziraldo com uma projeção do quadrinista desenhando em sua mesa e contando como descobriu as histórias em quadrinhos. Bom lugar para uma bela foto ao lado do artista, que aliás participou ativamente com sugestões para o espaço, e para ver alguns de seus desenhos originais que foram cedidos para a mostra. As histórias do Menino Maluquinho e Turma do Pererê estão em peso ali.

Plano infalível para “loubar” o Sansão

O espaço dedicado à obra de Mauricio de Sousa é outro destaque lindo. Os gibis e almanaques da Turma da Mônica, que tanto fez parte da nossa infância, estão selecionados em peso, mas a sala reúne também Graphics MSP, um projeto no qual Mauricio de Sousa convidou uma série de artistas brasileiros consagrados, e com estilos diferentes do padrão das revistas mensais, para fazerem releituras de seus personagens clássicos. Este ambiente é uma oportunidade ainda para ver a primeira HQ de cada um da turma, storyboards de Mônica Toy, uma webserie que foi lançada recentemente pela produtora do artista e até as novidades – para mim pelo menos – da Turma da Mônica Jovem. Spoiler: a Mônica já até casou, minha gente.

Nossos malditos favoritos

Laerte, Glauco e Angeli ganharam também lugar de destaque na megaexposição. A sala dá impressão de ser imensa, com escadarias que sobem pelas paredes. Ao centro desta sala dedicada à produção nacional mais recente, três paineis com projeções de quadrinhos dos artistas homenageados. Um caderno de esboços de Glauco apresenta artes originais para a revista Geraldão, edição número 1. Ainda ali, uma banca de jornal exibe as HQs mais recentes.

Nostalgia nipônica

Na infância eu era louca por mangás japoneses. Gostava de desenhar, assistir, ter os bonequinhos e tudo que fosse possível. Em uma sala cheia de nostalgia, estão ali Os Cavaleiros do Zodíaco, Sailor Moon e Dragon Ball Z. Ah, bons tempos. Neste espaço tem uma área dedicada especialmente a um dos maiores nomes da história do quadrinho asiático, Osamu Tezuka. Uma estátua do Astroboy e guarda-chuvas que decoram todo o fundo da sala fazem referência aos seus trabalhos.

Você já foi à Bahia?

Falando em nostalgia, gastei um bons minutos assistindo mais uma vez ao clássico que apresenta Zé Carioca ao Pato Donald. O personagem foi criado no início da década de 1940, quando os EUA queriam apoio na Segunda Guerra e Walt Disney aproveitou para fazer uma grande turnê pela América Latina. O filme “Aquarela do Brasil” vai passando em toques de uma pintura para mostras nossa músicas, fauna e flora. É uma doidera que Zé Carioca, um personagem para crianças, apareça ali ensinando samba, bebendo cachaça e, claro, fumando seu charuto. Outros tempos!

Mis compañeras argentinas!

A apaixonante e reflexiva personagem do cartunista argentino Quino tem lugar especial dentro do MIS. Mafalda está em um grande painel dividido em diversos quadros. Virando cada um, uma história diferente da questionadora menina. As “Mulheres Alteradas”, da maravilhosa Maitena, também divide o espaço entre outras produções latinas. Graças a jah uma presença feminina – infelizmente são poucas ao longo da mostra.

Banheiro erótico

A sala dedicada à HQs eróticas, como “Valentina”, em um original desenhado pelo seu criador, o italiano Guido Crepax, está dentro do banheiro. Algumas boas frases nas paredes e imagens que aparecem e desaparecem em um flash estão por ali. Um dos espaços mais legais por que, apesar de pequeno, foi muito bem aproveitado dentro do tema. Pequenos buraquinhos na parece dão para quadrinhos sensuais de diversos artistas. A Rebordosa claro que está ali, deitadona na banheira bem linda. Entre sem vergonha!

Gosto mais que lasanha!

A mostra tem ainda um desenho do personagem Garfield feito por Jim Davis exclusivamente para a exposição e um vídeo com o criador do gato mais famoso das tirinhas fazendo o desenho. Nesta seção tem outras obras produzidas por artistas americanos, como a linda Betty Boop, criada por Max Fleischer e desenhada por Grim Natwick. O marinheiro Popeye, criado em 1929 por Elzie Crisler Segar, e o Recruta Zero personagem do cartunista Mort Walker, que ficou famoso com o bordão “Nunca deixe para amanhã o que você pode fazer depois de amanhã”.

Quadrinhos
MIS – Museu da Imagem e do Som | Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo | (11) 2117 4777
14 de novembro de 2018 a 26 de maio de 2019
Terças a sábados, das 10h às 20h (com permanência até às 22h); domingos e feriados, das 9h às 18h (com permanência até às 20h);
R$ 30 (inteira); R$ 15 (meia-entrada) | Antecipados online
Estacionamento conveniado: R$ 18

Curtiu? Leia essas também:

‘O rap salvou várias vidas’, conta artista que criou projeto que transforma rappers em super-heróis

A história de Alceu Valença contada em quadrinhos

Brasileiro concorre ao ‘Oscar dos Quadrinhos’ com HQ sobre a escravidão

Publicidade

Fotos: Gabriela Rassy e Leticia Godoy/Divulgação


Gabriela Rassy
Jornalista enraizada na cultura, caçadora de arte e badalação nas capitais ensolaradas desse Brasil, entusiasta da cena musical noturna e fervida por natureza.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
‘Matrix 4’ é confirmado com elenco original; Morpheus é dúvida