Debate

João de Deus é acusado por ativista de tráfico internacional de crianças

por: Redação Hypeness

Publicidade Anuncie

Sabrina Bittencourt, ativista responsável pela divulgação das denúncias de abusos sexuais contra João de Deus, publicou um vídeo relacionando o homem de 77 anos com tráfico internacional de crianças.

A publicação foi compartilhada nas redes sociais e Sabrina diz que João chefiava a rede que aliciava bebês, garotas de 14 a 18 anos, em sua maioria negras e de baixa renda, para serem usadas como escravas sexuais.

“A gente tem recebido relatos, desde as mães adotivas dessas crianças que foram vendidas por US$ 20 mil (cerca de R$ 74 mil) a US$ 50 mil (cerca de R$ 185 mil) na Europa, EUA e Austrália, até ex-funcionários e cidadãos de Abadiânia que estão fartos de serem coniventes com a quadrilha de João de Deus”, explica no vídeo.

A defesa de João de Deus não se manifestou até o momento

Sabrina Bittencourt garante ter feito contato com mães que adotaram os filhos dessas mulheres em ao menos três continentes. A ativista pede ajuda das autoridades para investigar o assunto.

A quadrilha supostamente chefiada por João de Deus se aproximava das vítimas oferecendo dinheiro para estas mulheres trabalharem como escravas sexuais em garimpos ilegais de João em Abadiânia, Goiás. Os filhos seriam, então, vendidos no exterior.

“Em troca de comida, elas eram engravidadas para vender [os bebês] no mercado negro. Centenas de meninas foram escravizadas durante anos, viveram em fazendas de Goiás, serviam de matrizes para ficarem grávidas, para os bebês serem vendidos. Essas meninas eram assassinadas depois de 10 anos parindo. A gente já tem uma série de relatos, mas a gente precisa de mais provas”, pontua.

A ativista chamou a atenção das embaixadas da Holanda, Estados Unidos e Austrália. Ela também pede que autoridades brasileiras tenham “uma conduta impecável”.

Sabrina Bittencourt é responsável pelo Coame (Combate ao Abuso no Meio Espiritual). A ativista reúne denúncias de violações sexuais cometidas por líderes religiosos. Ela se diz ameaçada de morte e por isso reside fora do Brasil.

Mais denúncias 

O Ministério Público de Goiás trabalha em novas denúncias de abusos sexuais contra João de Deus. O órgão afirma que ele será ouvido novamente, desta vez para responder sobre os crimes relatados no documento.

“A denúncia por novos crimes sexuais deve ser apresentada ainda nesta semana. Não é possível precisar quantos crimes vão compor e nem quais, porque ainda estamos trabalhando nela. Também vamos ouvir o João de Deus novamente essa semana sobre os casos que constarão no documento”, disse ao G1 promotora Gabriella Clementino.

Dinheiro e pedras preciosas foram apreendidos na casa de João de Deus

João de Deus está preso desde 16 de dezembro do ano passado Núcleo de Custódia de Aparecida de Goiânia. De acordo com a promotora, por volta de 100 mulheres foram ouvidas pelo MP.

Pedras preciosas e o dinheiro, cerca de R$ 400 mil, encontrados na casa de João de Deus estão sendo avaliados por peritos na Caixa Econômica Federal. São aguardados ainda os resultados de outros laudos da perícia feita na Casa Dom Inácio de Loyola, onde eram realizados os atendimentos espirituais.

Publicidade

Fotos: Reprodução/EBC


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
De carro e bicicleta: Polícia investiga autor de ataques com ácido no Sul