Debate

Juíza anula expulsão de aluno do Mackenzie autor de ameaças racistas

por: Redação Hypeness

Pedro Baleotti, autor de uma ameaçada racista, teve a expulsão da Universidade Presbiteriana Mackenzie revertida pela juíza federal Sílvia Figueiredo Marques, que concedeu liminar ao estudante de direito.

A decisão obriga o “imediato restabelecimento do vínculo com a instituição”. No entanto, Sílvia preferiu manter a suspensão do aluno. Na ocasião, o estudante vestia uma camisa do então candidato Jair Bolsonaro (PSL), enquanto ameaçava uma dupla de negros em uma moto dizendo estar armado. 

“Essa negraiada vai morrer! Vai morrer! Capitão, levanta-te, o povo brasileiro precisa de você”. O estudante de direito continua os xingamentos, “armado com faca, pistola, o diabo, louco pra ver um vadio, vagabundo com camiseta vermelha e já matar logo”.

Pedro foi demitido do escritório de advocacia em que trabalhava

A magistrada da 26ª Vara Cível se baseou em supostas ‘irregularidades’ encontradas no processo conduzido pela Comissão de Processamento Disciplinar, responsável pela apuração do caso de racismo.

A primeira divergência, aos olhos da juíza da 26ª Vara Cível, é que a comissão criada pelo Mackenzie era composta por três professores ao invés de cinco membros, o que abriria espaço aos técnicos. A segunda, falta de competência da comissão, implementada em caráter de sindicância e que apresentaria um “relatório circunstanciado” para a possível expulsão do estudante.

“Somente com a instauração de um processo administrativo disciplinar é que isso seria possível. Assim, não tendo sido instaurado tal processo administrativo disciplinar, com a designação de uma comissão de cinco membros, o desligado do impetrante deve ter seus efeitos suspensos”, justifica Sílvia.

Pedro Baleotti terá o vínculo com a instituição de ensino restabelecido imediatamente, mas não poderá frequentar o campus diante do que a juíza classificou como “animosidade”.

Alunos e membros de coletivos negros prometem novos protestos

A tal “animosidade” é provocada pelas reações de estudantes e coletivos negros da universidade. O Afromack realizou uma série de protestos nas dependências do campus exigindo a expulsão do autor das ofensas racistas.

Diante da reviravolta do caso, o coletivo emitiu nota de repúdio e prometeu novas manifestações.

“É com profunda consternação que anunciamos que o aluno Pedro Baleotti, o qual foi expulso por declarações racistas, poderá voltar frequentar a Universidade Presbiteriana Mackenzie. O Afromack reitera sua posição totalmente favorável à expulsão do aluno e se compromete a continuar mantendo a comunidade atualizada sobre o decorrer do caso. Contamos, mais uma vez, com o apoio da comunidade e sociedade nesta luta que não é só nossa. Pela permanência e bem estar de toda a comunidade universitária, para que possamos seguir sendo diversos e plurais, seguimos”.

A defesa de Pedro Baleotti, que foi demitido do escritório de advocacia que trabalhava, não se manifestou até o momento. O estudante pede ainda o benefício de Justiça gratuita. A decisão é passível de recurso.

Publicidade

Fotos: Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Velhas grávidas: Anna Radchenko combate etarismo com ensaio fotográfico ‘Avós’