Debate

Motorista de aplicativo é morta por reagir a tentativa de estupro de passageiro

por: Redação Hypeness

A motorista de aplicativo Vanusa da Cunha Ferreira foi morta por Parsilon Lopes dos Santos, que admitiu ter assassinado a condutora por ela ter se recusado em manter relações sexuais com ele após o fim da corrida.

O feminicídio aconteceu em Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital, logo após o fim da viagem com o homem e uma dupla de cantores sertanejos. De acordo com a Polícia Civil, antes de matá-la, Parsilon tirou a roupa e tentou estuprar Vanusa.

“Foi uma fatalidade, errei e quero pagar. Me arrependo do que fiz”, declarou ele, que se diz empresário dos cantores sertanejos.

Para o assassino tinha ‘pintado um clima’

A delegada Mayana Rezende afirma que Parsilon vai responder por homicídio qualificado, tentativa de estupro e vilipêndio de cadáver. Ele ainda não apresentou um advogado de defesa.

Vanusa era técnica de enfermagem, tinha 36 anos e dirigia por aplicativos para complementar renda. O corpo dela foi encontrado na noite de domingo (20), já o carro estava abandonado em uma pequena rua da cidade.

A delegada diz que Parsilon, conhecido como Camargo, achou que tinha ‘pintado um clima’ entre os dois. Depois de deixar os músicos, a condutora foi levar Parsilon até uma chácara onde ele trabalhava como serralheiro.

“Na versão dele, ele diz que os dois estavam no carro e achou que tinha pintado um clima entre eles e aí começou a abraçá-la, fazer algumas brincadeiras. Ela negou, disse até que aquela não era a orientação sexual dela”, relata a delegada Mayana Rezende.

Vanusa era motorista de aplicativo para complementar renda

Assim que chegou ao destino final, o empresário segurou Vanusa pelo braço e decidiu estuprá-la. Vanusa fugiu correndo.

“Ele a segurou com força pelo braço. Eles acabaram caindo. Vanusa bateu a cabeça no meio fio e perdeu os sentidos. Depois disso, ele ainda bateu a cabeça da vítima novamente contra o chão”, completou Mayana.

Logo após a morte, Camargo ainda abusou sexualmente da vítima. “Eu tirei a roupa, cheguei a fazer algumas coisas, mas não completei o ato”, admitiu.

Publicidade

Fotos: Reprodução/TV Anhanguera


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Ozzy revela Parkinson e sua mulher chora em entrevista