Debate

MP abre inquérito para investigar Datena por assédio sexual à repórter da Band

por: Redação Hypeness

O Ministério Público do Estado de São Paulo pediu à Polícia Civil abertura de inquérito para investigar a denúncia de Bruna Drews, que  acusa José Luiz Datena de assédio sexual.

Na representação enviada ao MP, a repórter do Brasil Urgente durante quatro anos, diz que o apresentador a chamou de ‘gostosa’ e que achava um ‘desperdício’ ela namorar uma mulher.

“Estou do lado da verdade! Consciência limpa e tranquila. Faço isso por todas as mulheres que são obrigadas a passar por isso diariamente”, disse em postagem nas redes sociais acompanhada de uma imagem do movimento Mexeu Com Uma, Mexeu Com Todas.

Bruna acusa Datena de ter tido acesso ao processo que corre em sigilo

A abertura de denúncia contra Datena caberá ao promotor de Justiça e a decisão de um eventual arquivamento do processo permanece nas mãos de um juiz. A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo declarou que até o fim do último dia (21), a denúncia de Bruna não havia chegado ao Decap (Delegacia de Polícia Judiciária da Capital).

Além do programa policial, o apresentador e Bruna trabalharam juntos no extinto Agora é Com Datena. Os elogios ao vivo por parte do jornalista eram constantes. No entanto, a repórter explica que durante uma festa de confraternização o assédio se caracterizou.

“Era nítido o meu constrangimento, coisas que eu não aguentava. Alguém precisa parar esse homem”, desabafou Bruna Drews.

Bruna, que afirmava se sentir uma ‘panicat’, está processando a Band por não dar a atenção devida ao caso.

“Estávamos frente à frente no restaurante [quando ele teria a assediado]. Eu relatei o ocorrido para a Band, que me mandou para casa descansar e não procurou o Datena, não procurou testemunhas”, relatou Bruna.

A Band também está sendo processada pela repórter

O fato caiu como uma bomba na cúpula da emissora, que até o momento prefere aguardar o desenrolar dos fatos antes de um possível afastamento de Datena. Já Bruna teve que fechar a conta no Instagram por causa dos ataques machistas e sofre com problemas de saúde, como a síndrome do pânico. A repórter acredita que a carreira no jornalismo tenha acabado.

“Esta é a pura verdade! Como ex-repórter criminal, sei que infelizmente processos por assédio sexual acabam no máximo em pagamentos de cestas básicas para o Estado! Nunca pedi nada e nunca fiz chantagem com o apresentador!”, escreveu Bruna, que seguiu com o raciocínio.

“Não fui eu quem quebrei o segredo de Justiça, e sim ele. Soube pelos meus advogados que ele teve todo acesso ao meu processo trabalhista, que segue também em segredo de Justiça. Apenas por isso decidi falar. Obviamente muitas testemunhas que estavam no bar (amigos pessoais e funcionários de Datena) não vão contar a verdade. Mas tenho certeza que ela será esclarecida pela Justiça!”, continuou a repórter.

Datena pede Justiça

No retorno ao posto de âncora do Brasil Urgente na segunda-feira (21), José Luiz Datena falou pela primeira vez na TV sobre as denúncias de assédio sexual. Como já havia feito, o apresentador negou, citando a família, o casamento de mais de 40 anos e quase duas décadas de defesa das mulheres. “A verdade vai aparecer”.

Em seu programa, Datena se defendeu citando os anos de carreira e a família

“Minha avó me dizia que quando você está em cima da verdade, você enfrenta quem você quiser. Eu acredito muito na Justiça de Deus e dos homens. E não tenha dúvida disso. Agora, evidente que fico chateado quando não só eu, mas também minha família, é atacada, especialmente as mulheres. Minha mulher – com quem sou casado há 41 anos – filha, neta, nora, são atacadas de uma maneira baixa nas redes sociais. São palavras mentirosas que me colocam em destaque na imprensa. Mas eu repito: a verdade vai aparecer”.

Datena segue destacando sua carreira no jornalismo policial. “Não vou falar muito sobre isso, porque primeiro quem vai decidir isso, primeiro é Deus e depois a Justiça dos homens. Não tenha dúvida absolutamente sobre isso. Faz 17, 18 anos que defendo as mulheres brasileiras contra todo tipo de crime: calúnia, assédio sexual, abuso sexual, feminicídio… E vou continuar fazendo isso. Eu defendo todas as mulheres. Agora, se uma pessoa, independentemente de ser mulher ou não, me acusa de maneira vil, é claro que eu vou responder a isso, e pedir que a Justiça faça justiça, mostre a pura verdade”.

Publicidade

Fotos: Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Coronavírus: ES quer retomar aulas com protocolo de despedida em caso de morte de alunos ou professores