Debate

Neymar e Medina são acusados de machismo por postagem de foto ao lado de 26 mulheres

por: Redação Hypeness

Publicidade Anuncie

Neymar foi uma dos assuntos mais comentados nesse fim de ano. Não, o jogador não venceu um campeonato importante, na verdade, o atleta do PSG causou polêmica ao postar uma foto acompanhado de Gabriel Medina, Arthur e 26 mulheres.

A fotografia foi tirada durante festa Réveillon promovida pelo jogador em Barra Grande, na Península de Maraú, Bahia. O retrato gerou alguns questionamentos, Neymar só marcou os ‘parças’ e nenhuma das mulheres, como se elas fossem meros objetos decorativos. A imagem dá ainda a ideia de ostentação de mulheres como se fossem uma espécie de “bem” ou “posse” que demonstra poder.

Neymar estava acompanhado do também jogador Arthur e de Gabriel Medina

O Ano Novo de Neymar revela outra faceta preocupante do futebol, o machismo e a objetificação da mulher, que reforçam a cultura do estupro e o próprio sexismo no esporte. Em 2017, Robinho foi condenado a nove anos de cadeia por estupro. A decisão da nona seção da corte de Milão culpa o jogador pelo estupro coletivo de uma jovem albanesa no dia 22 de janeiro de 2013, em uma casa noturna da cidade italiana.

A torcida feminina do Atlético-MG protestou diante de uma possível contratação de Robinho

A sentença diz que o abuso sexual foi cometido junto com outros cinco brasileiros. O mesmo Robinho foi acusado de estupro em outra oportunidade. Em 2009, quando havia acabado chegar ao futebol inglês, o atacante brasileiro foi investigado por uma suposta agressão sexual ocorrida numa casa noturna de Leeds. Ele foi interrogado pela polícia de West Yorkshire e seguiu em liberdade sob fiança. Em abril do mesmo ano, a polícia decidiu não dar continuidade ao caso. Robinho não foi a julgamento.

No caso de Milão, Robinho pode apelar em mais duas instâncias. A agência Reuters afirma que a Itália não pedirá extradição até que se esgotem os recursos.

A situação envolvendo Neymar e Medina alimenta o mesmo tipo de pensamento que pode desaguar em casos como o de Robinho. Embora o cenário tenha se modificado com o levante de mulheres que atuam no meio do futebol, como As Dibradoras, o corpo feminino ainda é tratado como objeto por boleiros e imprensa.

Em conversa com o Trivela, a repórter do Sportv, Joanna de Assis, afirma ter sido alvo de machismo dos colegas de trabalho.  

“Eu já ouvi comentários sobre outras mulheres. Por exemplo, se uma repórter mulher conseguiu um furo e todo mundo queria dar essa informação, qual foi a primeira coisa que falaram? ‘Mas também, ela tem um caso com o jogador…’. Até o dia que aconteceu comigo. Por exemplo, tem um jogador que me liga e conta que está se transferindo para a Alemanha. Vou lá e escrevo a matéria. No dia seguinte, as pessoas perguntam ‘Mas por que só a Joanna sabe?’. Sempre vai ter um maldoso que vai falar: ‘eles são amigos, têm um caso’”, revelou.

Na final do Campeonato Paulista de 2018, parte da torcida do Palmeiras ofendeu três repórteres. Mariana Pereira (Rádio Trianon e Site Esportudo) e Jade Gimenez ( Repórter na Rádio Coringão e Digital Esportes), foram xingadas com insultos sexuais acompanhados de gestos obscenos.

Pai de Neymar já havia ofendido uma repórter em 2018

O próprio pai de Neymar ofendeu Camila Mattoso, repórter da Folha de São Paulo. Questionado sobre uma possível festa na concentração depois do empate do Brasil na Copa do Mundo da Rússia, Neymar pai demonstrou bastante irritação e achou interessante recorrer ao vocabulário sexista.

“A festa que eu fiz foi com a sua mãe. Eu estava com a sua mãe lá. Eu fiz a festa com a sua mãe”, disse.

Aparentemente Neymar, o filho, não gostou nada de ser acusado de machismo. O jogador postou uma outra foto cercado de homens com a seguinte legenda: “Nós 3 + 24 homens”.

Publicidade

Fotos: Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
A capitã de barco alemã que enfrenta 20 anos de prisão por salvar refugiados