Roteiro Hypeness

Público LGBT+ ganha ótimas opções de pousadas na Serra da Mantiqueira | Viaja Bi! #6

por: Rafael Leick

2018 chegou ao final e as nossas energias também. Foi um ano intenso para todo mundo, incluindo nosso querido país. Natal passou, famílias reataram brigas, outras começaram novas. Mas agora é hora de olhar para o futuro.

E é no futuro que alguns empreendimentos hoteleiros no interior do estado de São Paulo estão mirando. Estou falando pousadas na Serra da Mantiqueira paulista que buscam atrair e bem receber o público LGBT+ em um dos estados que se encaixa em um lugar bastante conservador. A capital paulista ainda acaba destoando e se colocando na vanguarda, mas o interior junta o conservadorismo com características típicas interioranas que muitos dos que vêm de lá relembram: “cidade pequena, todo mundo sabe da vida de todo mundo”.

Óbvio que existem exceções mas essa é meio que a regra geral, a linha condutora. Se isso é bom ou ruim, deixo parar você fazer o julgamento, mas todos temos que concordar que alguém que decide mirar (não no sentido de armas de fogo) no público LGBT+ como seu principal nicho de mercado em um ambiente assim, está olhando além da sua bolha.

Eu trabalhando em paz – Foto: Emerson Lisboa / Viaja Bi!

Eu trabalhando em paz – Foto: Emerson Lisboa / Viaja Bi!

Fui pessoalmente conhecer dois desses estabelecimentos em dois momentos diferentes e com histórias também diferentes. E essa é uma das partes que mais gosto do interior, as histórias. Então, já que estamos em clima de fim de ano, senta que lá vem história, minha vez de te contar uma… ou melhor, duas.

 

A história de Santo Antônio

Poço dos Desejos e os 4 totens que deram nome à pousada, em frente à recepção – Foto: Emerson Lisboa / Viaja Bi!

Poço dos Desejos e os 4 totens que deram nome à pousada, em frente à recepção – Foto: Emerson Lisboa / Viaja Bi!

Em 2015, pouco tempo depois de lançar meu blog de turismo LGBT+, fui convidado para conhecer uma pousada em Santo Antônio do Pinhal, uma cidadezinha próxima à Campos do Jordão. Quando o convite chegou, não entendi muito bem o que significava uma pousada gay. Mas não era para ser só uma pousada e gays também frequentarem? Qual a diferença?

Mas fui para lá animado pra conhecer e entender. Como bom fã de Sandy e Junior, como não ficar animado com uma pousada chamada Quatro Estações? Mas, obviamente, nada tinha a ver com a ex-dupla. O nome veio por conta de 4 totens que já estavam no lago da propriedade quando ela foi comprada por Adriano, que trabalhava há mais de 10 anos em um banco em São Paulo e abandonou sua carreira de sucesso para abrir a pousada.

A Quatro Estações foi aberta para ser exclusivamente gay mas a frequência de héteros foi aumentando e ela se tornou hétero-friendly (assim não tem “heterofobia” [sic], né?). Mas a festa de Rèveillon, por exemplo, continua sendo focada no público LGBT+ e costuma ter até apresentação de drags.

Vista do quarto em pousada em Santo Antônio do Pinhal – Foto: Emerson Lisboa / Viaja Bi!

Vista do quarto em pousada em Santo Antônio do Pinhal – Foto: Emerson Lisboa / Viaja Bi!

A pousada é um charme! Lugar calmo, de muita paz e muito bonito. Todo organizadinho e com chalés que vão dos mais simples ao mais maravilhoso ever, com uma hidromassagem dentro do quarto, com vista para a Serra da Mantiqueira e com teto solar retrátil para entrada de luz por cima. E posso me gabar que esse foi o chalé que eu fiquei.

Sabe o que é você acordar manhã, ouvir os sons da natureza, abrir os olhos e se você deixou a porta da varanda do chalé aberta, ver aquele verde maravilhoso sem nem precisar se mexer na cama? Acordar vira um evento!

Fora que tudo foi muito bem cuidado, a comida era boa e é próximo da cidade, então dá para pegar seu carro e dar um pulo para conhecer o que Santo Antônio do Pinhal tem para oferecer (e é mais do que imaginei a princípio). Lá dentro da pousada tem uma trilhazinha pequena, mas na região, o Pico Agudo oferece uma possibilidade maior de contato com a natureza.

A proposta lá é descanso, romantismo, muito romantismo, um pouco mais de romantismo e um pouco de ação nas atividades nos arredores. Leia mais sobre a pousada em Santo Antônio do Pinhal.

 

A história de São Francisco

Piscina externa na pousada em São Francisco Xavier - Foto: Rafael Leick / Viaja Bi!

Piscina externa na pousada em São Francisco Xavier – Foto: Rafael Leick / Viaja Bi!

A segunda pousada ainda tá bem fresca na minha memória, já que a visitei bem no finzinho de novembro (2018). Também fui convidado por conta do Viaja Bi! pra conhecer a pousada A Rosa e o Rei, que fica em São Francisco Xavier, também na Serra da Mantiqueira paulista.

Essa situação foi curiosa porque quando visitei Santo Antônio do Pinhal, que não fica tão distante assim dali, ouvi falar sobre o tamanho de São Francisco Xavier (são 4.500 habitantes, contando a zona rural; 800 no centrinho urbano) e como ela, mesmo tão pequenininha era super super super aberta à comunidade LGBT+.

Na época, eu cheguei a duvidar do que me contaram, de que um peão que trabalha numa fazenda, “chucro” como eles dizem por lá, podia estar em um mesmo boteco que um casal gay trocando carinho e que nem um olhar diferente rolava. Eu pensei (preconceituosamente) comigo mesmo: “cara, não tem como, é interior e uma cidade tão pequena, com alguém da roça que não teve tanto contato com a diversidade, como é possível?”.

E não é que é? A Rosa e o Rei é hoje comandada por um casal de mulheres muito queridas, a Cacá e a Claudia. E já deu pra perceber quão fofura as duas são logo que nos receberam para uns drinks de boas vindas no fim da tarde de sexta e a conversa foi longe até o jantar.

Ambas contaram um pouco das suas histórias. As duas também são originalmente de São Paulo e a Cacá trabalhou com a indústria de entretenimento e eventos por um bom tempo, passado inclusive pela saudosa MTV, que rendeu boas histórias contadas naquela noite.

Em dado momento, elas também me contaram que moram em uma outra parte da zona rural de São Francisco Xavier há mais de 10 anos e que nunca sofreram nenhum tipo de preconceito. Aí você pode pensar “ah, mas elas moram lá no meio do nada”.

Não é assim não more. Elas assumiram a pousada há cerca de 6 meses (e estão promovendo mudanças), mas já são super conhecidas na cidade. Elas são donas do melhor restaurante de “São Chico”, chamado Villa K2, que eu tive a oportunidade de conhecer. Super moderno, comida gostosa e refinada (mas refinada de boas porções, não o refinado de restaurantes muito chiques), atendimento incrível. Não é à toa a fama.

Além da exposição pelo restaurante (e agora pela pousada), elas ainda patrocinam uma escolinha de futebol para todas as idades na região, o time Mantiqueira Futebol Clube e até iniciativas de adolescentes para criar um protótipo de app chamado Localiza SFX, que reunirá todos os estabelecimentos e informações sobre a cidade e está agora em captação de novo patrocínio para ser lançado oficialmente. Ou seja, são bem engajadas na comunidade. E a Claudia até se espantou quando a questionei sobre preconceito. “Não, aqui na cidade não tem nenhum tipo de preconceito, não só com LGBT”, ela me disse.

Porque não sou de ferro e curti o ofurô do lado de fora do meu quarto - Foto: Rafael Leick / Viaja Bi!

Porque não sou de ferro e curti o ofurô do lado de fora do meu quarto – Foto: Rafael Leick / Viaja Bi!

E a pousada é um pedacinho de paraíso na Terra. Lá é conhecido como o lugar ideal para praticar o “nadismo”, ou seja, fazer nada! E, cara, que delícia não fazer nada. Nós, paulistanos, precisamos nos educar pra suportar o “não fazer nada”, por incrível que pareça. Mas quando você consegue, vê quão necessário é você fazer mais disso na sua vida.

Ela têm chalés com vista pra Serra da Mantiqueira, algumas com hidro dentro do quarto e os chalés do chamado Espaço da Mata, onde fiquei. O quarto tem um ofurô do lado de fora, na varandinha, onde também ficam duas cadeiras de madeira para descanso “diagonal”. É pertinho de uma cachoeira, então você dorme com barulhinho de água corrente ao fundo, uma delícia. E é tudo tão privativo no modo como é construído, que você e seu amor podem andar pelados pela varandinha que ninguém vai ver nada.

Sim, falei do amor porque ela também é super romântica, tá? Não aceita menores de 15 anos, mas aceita pets. Eu sou do tipo que gosto mais de bicho que de gente, então me encontrei, né?

Relaxando na cachoeira “o Rei” e vista da trilha dentro de pousada em São Francisco Xavier - Foto: Rafael Leick / Viaja Bi!

Relaxando na cachoeira “o Rei” e vista da trilha dentro de pousada em São Francisco Xavier – Foto: Rafael Leick / Viaja Bi!

Ah! Comentei sobre a cachoeira… Dentro da propriedade ficam duas: a Rosa e o Rei. Por isso o nome da pousada. As duas são acessíveis por uma trilha de mata mais fechada, não muito longa, mas com pedaços de dificuldade um pouquinho mais moderada.

Isso fora o spa maravilhoso, com hidro com vista pra Serra e piscina externa em um deck sem guarda-corpo, também com a mesma vista. Coisa de louco. Leia mais sobre a pousada em São Francisco Xavier.

Contadas essas duas histórias, dá pra ter esperança de um final feliz nesse ano que está começando, né?

Publicidade

Fotos: Rafael Leick / Viaja Bi!


Rafael Leick
Criador do Viaja Bi!, primeiro e principal blog de viagens LGBT+ do Brasil. Publicitário paulistano, fez intercâmbio em Londres e lá começou a escrever sobre viagem. Trabalhou com órgãos de promoção turística de Toronto, Argentina, Espanha, Reino Unido, Curaçao, entre outros, e grandes empresas do setor. Ministrou palestras no Brasil e no Peru e foi Diretor de Turismo da Câmara LGBT do Brasil.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Empresa vai levar você e acompanhante para brilharem em Amsterdã; saiba como