Debate

Preso técnico de enfermagem que estuprou mulher em estado vegetativo que deu à luz

por: Redação Hypeness

Um técnico de enfermagem norte-americano foi preso acusado de ter violentado sexualmente uma paciente em estado vegetativo. Ela deu à luz em dezembro no Arizona, oeste dos Estados Unidos.

O chefe da polícia local, Jeri William, afirma que os investigadores prenderam Nathan Sutherland, de 36 anos, mediante acusação de estupro de vulnerável e abuso sexual. Ele foi transferido para a prisão de Maricopa County.

“Nós devíamos essa prisão à vítima.Devíamos essa prisão ao mais novo membro da nossa comunidade, aquele bebê inocente”, declarou a autoridade policial.

Mais um carro estarrecedor de estupro

A vítima estava internada em uma clínica em Phoenix, a Hacienda HealthCare, onde o abusador trabalhava desde 2011. Sutherland era responsável por cuidar da paciente no período que o estupro aconteceu.

A mulher em estado vegetativo tem 29 anos e deu à luz ao bebê em 29 de dezembro. O menino está sendo cuidado pela família da vítima, mas não teve a identidade revelada.

Segundo os familiares, a paciente não pode falar, possui movimentos limitados, além de “deficiências intelectuais significativas”. Ela respondia apenas ao estímulo sonoro.

A paternidade do criminoso foi comprovada por meio de testes de DNA. Outros abusos não estão descartados.

Por causa do caso de abuso sexual, a clínica disse ter mudado o esquema de segurança, impedindo que homens entrem sozinhos em quartos ocupados por mulheres. “Tomamos conhecimento de um episódio profundamente perturbador envolvendo a saúde e segurança de um paciente”, declarou a Hacienda HealthCare.

Publicidade

Foto: Maricopa County Sheriff's Office


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Netflix diz que não vai incluir publicidade e comerciais