Debate

Capital do Irã proíbe caminhada de cães em locais públicos por serem ‘impuros’

por: Mari Dutra

Enquanto nos Estados Unidos os eleitores votaram pelo fim das corridas de cachorro e uma lei em Florianópolis proibiu os tutores de deixarem seus doguinhos amarrados, a capital do Irã vai na contramão e proíbe a caminhada de cães em locais públicos. O motivo? Eles são considerados impuros.

Com a nova medida, humanos não poderão passear com seus cachorros em parques e ruas da cidade. A medida, anunciada pelo chefe de polícia do Teerã, Hossein Rahimi, visa desencorajar as pessoas a terem peludos em casa.

Tutores não poderão mais levar seus cachorros para passear em vias públicas

As penas para quem descumprir a nova lei vão desde multas até o confisco dos animais. De acordo com informações do Oddity Central, os cães são considerados impuros pelos líderes religiosos do Irã e um símbolo das políticas ocidentais que existiam no país antes de um governo islâmico voltar ao poder, em 1979.

Os órgãos responáveis pela medida justificam que cachorros podem causar “medo e ansiedade” em outras pessoas. Na capital iraniana, tutores também são proibidos de levar seus mascotes para passear de carro. Os motoristas que desobedecerem a regra poderão receber multas pesadas.

Os animais também estão proibidos de andar de carro

De acordo com o Uol, uma fatwa, ou regra religiosa, teria sido publicada por um clérigo em 2010, indicando que, por serem impuros, cães não devem ser mantidos como animais de estimação.

Sorte do seu bichano de ter nascido em terras tupiniquins, né?

Publicidade

Fotos via Unsplash


Mari Dutra
Especialista em conteúdos digitais, Mariana vive na Espanha, de onde destila textos sobre turismo, sustentabilidade e outros mistérios da vida. Além de contribuir para o Hypeness desde 2014, também compartilha roteiros e reflexões mundo afora no blog e no Instagram do Quase Nômade.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Coronavírus: Fernanda Paes Leme relata piora: ‘dores na barriga e vômito’