Ciência

Pesquisa aponta tendência em consumidores trocarem álcool pela maconha

por: Vitor Paiva

A legalização da maconha vem se tornando uma realidade em diversos locais do mundo, criando assim uma verdadeira e bilionária indústria. Excelente notícia para nossa saúde e para a redução da criminalidade, quem não está feliz com tal tendência é a indústria do álcool.

Segundo pesquisa realizada pela empresa IWSR, que reúne informações no mundo todo sobre o consumo de álcool, nos estados americanos onde a legalização já aconteceu, 40% das pessoas acima de 21 anos estão consumindo a planta – e, no futuro, tal número pode significar uma redução significativa no consumo de álcool, de acordo com o estudo.

Maconha legalizada nos EUA

Se a indústria se preocupa, trata-se, de modo geral, também de uma boa notícia, visto que, mesmo legalizado, o álcool é muito mais nocivo para a saúde e o bem-estar do que a maconha. O estudo da IWSR sugere que tal redução no consumo é inevitável.

“Consumidores seguirão escolhendo produtos de maconha ao invés de álcool para ocasiões em que se sentirem criativos, que quiserem se motivar, ou por benefícios para saúde e o bem-estar”, afirmou Jessica Jukas, da BDS Analytics, que realizou a pesquisa em parceria.

Segundo Jessica, a pesquisa não confirma que tal redução efetivamente acontecerá ou será determinante, mas que é importante que as empresas de álcool fiquem atentas. “Ainda que não seja tão popular, adotar a maconha é um hábito que vem crescendo nos estados legalizados, e será sim um risco para a indústria do álcool no futuro”, afirmou.

Publicidade

© fotos: divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
500 milhões de abelhas morrem no Brasil. E os agrotóxicos podem ser principal causa