Meu Guarda Roupa é Hype

15 brechós em São Paulo para renovar o guarda-roupa com consciência, estilo e economia

por: Brunella Nunes

Publicidade Anuncie

Depois de passarmos por uma era de consumismo desenfreado (obrigada por nada, capitalismo!), chegamos ao ponto culminante onde nossas escolhas definitivamente refletem o que somos e o que queremos para o planeta. Saindo da bolha do status a partir das posses, as pessoas estão revendo suas atitudes na incansável busca por um estilo de vida mais sustentável. É aí que entram os garimpos, para a casa e para o guarda-roupa. Dando início nessa jornada, selecionamos brechós em São Paulo para renovar seus looks sem cair na mesmice das lojas de shopping e economizando uma graninha.

Até pouco tempo atrás, existia muita gente torcendo o nariz para brechós, com a desculpa de que era algo para os menos abastados, um lugar lotado de velharias com cheiro de naftalina. E, talvez, ainda exista esse tipo de pessoa. Mas o que ela não sabe é que está perdendo grandes chances de ressignificar uma roupa, ser sustentável, encontrar peças únicas, que dificilmente alguém na fila do pão vai ter igual e que, às vezes, custa mais barato do que uma ida e volta de metrô na cidade mais cara do Brasil.

E é exatamente aqui, na babilônia louca, que temos, além de lojas e bazares, feiras incríveis dedicadas a mercado de pulgas, como a do Brechó Lóki Bicho e a Feira Novo de Novo, que concentra uma cacetada de coisas maravilhosas para comprar e negociar.

Veja mais: Dona do brechó Loki Bicho abre as portas de seu closet

Se ainda faltar argumentos para te convencer a abraçar essa ideia de vez, aqui vai minha última cartada. A melhor que já li e ouvi sobre a falácia de que roupas de brechó têm “energia ruim” foi: energia ruim vem de roupa oriunda de trabalho escravo (ouviu essa, Zara e companhia limitada?). Fim. Não precisa de mais argumentos do que isso, né? Segue o baile! O desapego veio para ficar.

 

Brechó No Fundinho | Praça da República, 80 – Sala 802 – República

Muita coisa me encanta nesse brechó, comandado pela musa Yasmin Félix. Primeiro porque fica dentro de um edifício histórico, na Praça da República: o Esther. Subindo o elevador caímos nas graças de uma sala super charmosa, com enormes janelas, organização harmoniosa e atendimento gentil. Tão gentil que serve até um cafezinho aos clientes, coisa que muita loja cara é incapaz de fazer. A seleção de peças é ótima e os preços bem justos, com peças de R$ 5, R$ 10 e R$ 30. Além das araras de roupas, eles fazem editoriais maravilhosos, valorizando sempre a beleza negra, sob o olhar do fotógrafo Bruno Gomes.

Bonnie e Clyde | Av. Paulista, 1941 – loja 154 - Bela Vista

Dentro da galeria , na Av. Paulista, se escondem três brechós. Um deles é o Bonnie e Clyde, que não é enorme, mas tem roupas bacanudas, algumas mais vintages e outras menos. Sempre há uma boa seleção de jeans, para quem não dispensa o azulão para compor os looks, além de brincos bafônicos para arrasar na night ou pra uma ida bem basiquinha ao supermercado mesmo.

 

Brechó B.Luxo | R. Augusta, 2566 – Jardins

Eu já sei o que você está pensando: é caro. Sim, paga-se um preço a mais, mas acredito que pela qualidade e diversidade, está de bom tamanho. Gosto bastante do B.Luxo porque tem peças diferenciadas, realmente vintages e oriundas de outras partes do mundo. O melhor, porém, é que boa parte delas está impecável, limpíssimas e cheirosas. E, lembrando: tem uma salinha com liquidações ótimas para garimpar também. Os acessórios também são bem bacanas. Fora isso tem o visual do lugar, que antes parecia um grande gabinete de curiosidades e hoje tem cara de cenário de filme.

Brechó Vó Judith | Rua do Carmo, 122  -  Sé

Com duas unidades, uma na Sé e uma na Vila Madalena (R. Cayowaá, 2304), o brechó tem uma boa produção de moda por trás de sua curadoria. É um misto de vintage, street e casual. Peças de marcas nacionais e internacionais se misturam nas araras cheias para compor looks hi-lo. E, boa notícia: tem uma ala masculina também, que pode ser frequentada pelas minas e pelos manos, é claro.

Veja mais: O primeiro shopping do mundo dedicado a produtos reciclados

 

Brechó Colméia | Largo do Arouche, 207  -  Centro

Lembro que passei pelo Brechó Colméia e fui sugada para dentro. O motivo? Muito apelo visual, com peças diferentes expostas e, não só isso, itens de decoração e para a casa vintage. Uma das coisas mais legais dessa loja é o fato de ser colaborativa, ou seja, reúne vários brechós num só endereço, divididos por araras. Dá pra garimpar bem e ainda levar um mimo para enfeitar o lar!

I Need | Alameda Lorena, 2132 – Jardim Paulista

Caindo nas graças das influencers e blogueiras, o I Need está na crista da onda. Isso significa que a medida que eles postam novidades no Instagram, a chance de colocar as suas mãos naquela peça desejada são quase mínimas, a não ser que você more do lado. A fama não veio à toa, afinal, a curadoria faz bonito! As roupas tem uma pegada mais cool, moderninha e fashion, incluindo marcas como Adidas, Zara NY e Forever 21.

Devant Vintage Brechó | Av. Prof. Alfonso Bovero, 399 - Sumaré

Com pegada bem vintage, o Devant é figurinha conhecida entre as pin-ups. Entre texturas, cortes e cores das décadas passadas, as araras exibem peças garimpadas mundo afora, passando pelo público feminino e masculino, além de acessórios e itens para a casa, como louças e badulaques. O valor médio das peças fica entre R$ 25 e R$ 120.

Boutique Estilosa da Leste | Rua Rei Francisco, 221–7  - Itaquera

A Zona Leste de São Paulo é um mundo a parte, que merece sim ser explorado. O brechó Estilosa da Leste reúne peças mais atuais e moderninhas, em bom estado de conservação. Tem biquínis, blusinhas, jeans, body, saias, sapatos e óculos de sol, tudo pra você sair 100% renovada. Em liquidação, todas as peças ficam por R$ 19,90!

La Maison est Tombèe | Rua Áurea, 334 - Vila Mariana

Faz muitos anos que o La Maison est Tombèe figura entre os principais brechós de grife da cidade. Dá pra ficar babando naquela bolsinha da Chanel ou num cinto Gucci, mas não deixe isso te afastar completamente do lugar. Dá pra garimpar algumas coisinhas lá dentro, como acessórios, peças em bom estado e que não são de grandes marcas. Tem também alguns itens vintages de decoração.

Boutique Vintage Brechó e Bar | Rua da Mooca, 1721 - Mooca 

Migrando da região do Belenzinho para a Mooca a partir de março, o misto de boutique-bar-brechó funciona como um espaço cultural multiuso, fazendo a junção de música, moda e cervejas artesanais num ambiente cheio de raridades. O acervo de roupas e acessórios é vintage. Bandas de big band, jazz e brasilidades fazem a trilha sonora noturna. Além de oferecer drinks, a casa também conta com salgados veganos.

Brechó Rebajas | Rua Artur de Azevedo, 1711 - Pinheiros

Um pedacinho charmoso em Pinheiros, o brechó Rebajas já faz a cabeça (e o corpo) das descoladas há um tempo. Na companhia de seus pets, a mulherada se reúne ali para garimpar desde peças moderninhas, de marcas como Forever 21 e H&M, até achados vintages, vindos da Europa, Austrália e Estados Unidos.

An Urb Vintage | Rua Santa Aurélia, 391 - Ipiranga

O que fazer numa garagem sem carro? Montar um negócio é uma opção. Quatro mulheres se uniram na criação do Espaço 707, que agrupa alguns brechós, divididos por arara, uma marca autoral independente, um salão de beleza e um estúdio de tattoo. Tem preços bem justos, roupas, acessórios e calçados antigos e atuais, além de promoções que variam de R$ 1 a R$ 10 por peça!

Frou Frou Brechó | Rua Augusta, 725 - Consolação

Com um belo acervo de peças vintages, o Frou Frou também está entre os brechós que a gente ama, porém precisa ter aquela grana disponível para, de fato, comprar alguma coisa da loja. Apesar dos preços não serem tão democráticos, o espaço no Baixo Augusta vende roupas femininas e masculinas, de grifes ou não, além de ter bastante variedade e uns acessórios incríveis para compor aquele look basicão.

Brechó Brechovisk | Rua Carlos Escobar, 40 - Santana

O brechó mais conhecido de Santana é o Brechovisk, também conhecido como “o brechó da Diana”, que pegou da mãe dela o jeito e o legado de vender peças usadas. A ideia de se desfazer do que já não usa mais para que faça sentido a outra pessoa foi crescendo tanto que se transformou em loja. Na ativa desde 2005, tem roupas, calçados e acessórios a preços acessíveis.

Capricho À Toa | Rua Heitor Penteado, 1096 - Casa 8 - Sumarezinho/Perdizes

O verdadeiro sentido da palavra garimpo se consolida nesse brechó, que é um dos maiores de São Paulo, quiçá do país. Super organizado e limpo, reúne mais de 30 mil itens espalhadas em 14 salas, com peças atuais femininas, masculinas e infantis, além de objetos para casa e uma sala especial para venda de bolsas. Dá para passar o dia todo lá dentro e, na hora que a fome bater, tem até uma cafeteria te esperando.

Como nem tudo é rastreável pelo Google, comenta aí qual é o brechó mais legal do seu bairro e ajuda a gente a espalhar a palavra!

Veja mais: Contra consumismo, costureiros viajam pelos EUA arrumando roupas de graça

 

Publicidade Anuncie

Fotos: divulgação; exceto nº 1: Bruno Gomes; e nº 12: Brunella Nunes


Brunella Nunes
Jornalista por completo e absoluto amor a causa, Brunella vive em São Paulo, essa cidade louca que é palco de boa parte de suas histórias. Tem paixão e formação em artes, além de se interessar por ciência, tecnologia, sustentabilidade e outras cositas más. Escreve sobre inovação, cultura, viagem, comportamento e o que mais der na telha.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Batom que marcou anos 1980 e 1990 é relançado pela Natura