Sustentabilidade

Apicultores brasileiros reportam meio bilhão de abelhas mortas em 3 meses

por: Redação Hypeness

As abelhas já foram consideradas os seres vivos mais importantes do mundo e sua extinção pode até mesmo acabar com a humanidade. Porém, apicultores brasileiros reportaram a morte de meio bilhão de abelhas apenas nos três últimos meses. Cientistas acreditam que os agrotóxicos possam estar entre as principais causas de morte destes animais.

O levantamento da Agência Pública e Repórter Brasil levou em conta quatro estados brasileiros. O maior número de mortes ocorreu no Rio Grande do Sul, onde a população de abelhas teve uma queda de 400 milhões. Em Santa Catarina, as perdas registradas foram de 50 milhões de abelhas, contra 45 milhões no Mato Grosso do Sul e 7 milhões em São Paulo.

Foto: Agência Pública

Os números levam em conta estimativas de associações de apicultura, secretarias de agricultura e pesquisas feitas por universidades. Segundo os estudos analisados pela reportagem, 80% dos enxames gaúchos apresentavam mortes decorrentes do uso de Fipronil, um agrotóxico usado inclusive em coleiras antipulgas para animais domésticos e que já foi proibido na União Europeia há mais de uma década. Exames similares aplicados em São Paulo indicam que 67% das abelhas estavam contaminadas com pesticidas.

Foto: Salvador Gonçalves/Apicruz

A cidade gaúcha de Cruz Alta foi uma das mais afetadas, tendo registrado a morte de 20% das colmeias. A reportagem indica que as abelhas de pelo menos 10 estados brasileiros foram atingidas desde 2005. O uso de pesticidas pode alcançar um raio de 3 a 5 km das lavouras, afetando todos os insetos do entorno, inclusive as abelhas.

Leia também: 8 coisas que você pode fazer para ajudar as abelhas a sobreviver

Publicidade

Créditos sob as imagens


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Antinatalistas: quem são as pessoas que querem que paremos de ter filhos