Arte

China censura cenas LGBT e trechos sobre HIV de cinebiografia do Queen

por: Vitor Paiva

Contar a história de vida de Freddie Mercury sem se referir à sua homossexualidade ou ao seu diagnóstico de HIV pode parecer uma piada de péssimo gosto, mas tornou-se realidade na China. O filme “Bohemian Rhapsody” foi lançado por lá fatiado e censurado, com vários minutos simplesmente cortados, apagando assim qualquer referência à sexualidade do líder do Queen e à doença que viria a tirar sua vida.

Desapareceram da versão chinesa do filme cenas em que dois homens se beijam, e até mesmo momentos em que a palavra “gay” é pronunciada. Da mesma forma, foram cortados os momentos em que Freddie “sai do armário”, um close na virilha do cantor e a sequência em que o icônico videoclipe da música “I Want to Break Free”, no qual a banda aparece vestida de mulher. Ainda assim, as críticas ao filme no país vem sendo favoráveis, apesar das diversas reclamações à censura.

Exemplos de cenas cortadas do filme em sua versão chinesa

As relações homossexuais deixaram de ser proibidas na China já há mais de duas décadas, assim como já foi removida a homossexualidade da lista de transtornos mentais desde 2001. Ainda assim, nos últimos anos as autoridades chinesas vem se valendo da censura para promover uma campanha contra conteúdos considerados “inapropriados” – provando que o país, como tantos outros, definitivamente não aprendeu nada com a grandeza e o gênio do próprio Freddie Mercury.

Publicidade

© fotos: Reprodução


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
‘Eu queria que minha mãe se apaixonasse de novo’ | Do Amor #112