Inovação

De carros voadores a scooters: O futuro da mobilidade, segundo o SXSW 2019

por: Isadora Ferraz

Se pudesse escolher um tema de destaque durante o SXSW certamente seria a mobilidade e como as novas tecnologias vão mudar a forma como nos transportamos e ocupamos nossas cidades.

A própria Amy Webb, futurista respeitada e figura cada vez mais importante no SXSW, preparou o que chama de 5 ‘Primers’, os cinco temas que considera mais disruptivos e transversais a quase todas as indústrias, sendo um deles “Autonomous Driving”, referente aos chamados veículos autônomos. Ou seja,  drones, caminhões, shuttles e até tipos completamente novos de transporte que andam sozinhos por aí.

 

 

Se alguém morre, de quem é a culpa?

Uma das questões mais complexas é ética e segurança. Um dos palestrantes relembrou o caso do acidente com um carro autônomo e questionou se essa tecnologia é de fato segura, além de apontar que um carro movido a inteligência artificial é tudo menos autônomo. Afinal, foi um cerumaninho lá atrás que criou  um conjunto de regras impostos por seu programa, que, por sua vez, foi desenvolvido por uma empresa sobre a qual pouco conhecemos a abordagem sobre a tomada de decisão desses programas.

Mobilidade e economia ‘on demand’

Prova de como a tecnologia e a mobilidade estão transformando a forma como habitamos, trabalhamos e consumimos foi o painel “The Future of Food Delivery”, que se dedicou a explorar como a economia “on demand” e as plataformas de delivery de refeições transformaram os restaurantes de um locais de experiência em cozinhas que aceitam pedidos feitos por celulares de todo lugar. O hábito de pedir comida em casa está fazendo com que restaurantes se adaptem, repensando seus pratos e priorizando fatores como a qualidade de entrega em detrimento de coisas como a beleza e visual de um prato. Por isso, uma das tendências mais marcantes em alimentação dos últimos anos são as chamadas “dark kitchens”, cozinhas que preparam comida de restaurante sem um restaurante físico de fato, que tem se popularizado para atender a crescente demanda por serviços de delivery de comida.

Não é só conversinha

No SXSW de 2019 não apenas se falou sobre o futuro da mobilidade, ele foi vivida na pele. A cidade foi tomada por bicicletas e scooters elétricas compartilhadas (os famosos patinetes por aqui no Brasil), que foram o meio de transporte mais popular entre participantes do festival, usados para ir de uma venue do evento a outra, já que ficam todas espalhadas pela região central de Austin. Cinco, dez scooters, aguardavam para atravessar os cruzamentos por vez e esse sucesso gigante surpreendeu todo mundo e deu o que falar entre os participantes do SXSW, locais, motoristas e até na programação.

Seguindo a grana…

No painel “The Trillion Dollar VC Mobility Bet”, que reuniu investidores em startups de mobilidade, as scooters e bikes foram os meios de transportes mais comentados pelos painelistas, que estão apostando alto nessas soluções de micromobilidade, especialmente no Brasil e América Latina, onde são uma solução eficiente e acessível de transporte diante dos grandes problemas em infraestrutura e menor renda da população nesses países. Em algumas cidades do mundo onde as scooters das empresas Lime e Bird são populares, a Uber já perdeu 10% das corridas de curta distância. Vai ser interessante observar como esse mercado com potencial gigante vai evoluir no futuro próximo, já que esse é um negócio com um retorno altíssimo – as scooters costumam se pagar em aproximadamente 2 ou 3 semanas e o investimento em ciclofaixas é menos de 1/10 do custo de vias comuns.

E no Brasil?

A Embraer X levou para o o festival seu projeto de transporte urbano chamado eVTOL. O eVTOL significa, em livre tradução, “veículo elétrico de decolagem e pouso vertical”, são aeronaves de pequeno porte e são vistas como o carro voador do futuro. Não muito distantes de se tornarem reais, esses carros voadores devem ocupar os céus das cidades já em 2020, segundo os planos da empresa. Inicialmente essas aeronaves vão necessitar de pilotos mas a ideia é que se tornem totalmente autônomas com o aprimoramento dessa tecnologia.

Mas esse futuro está ainda muito longe de nós, que passamos horas no Lapa-Santo Amaro.  Essa questão foi endereçada na Casa Brasil por Stella Brant, Diretora de Marketing do primeiro unicórnio brasileiro, a 99. Para Stella, ser uma empresa de mobilidade é pensar em como seus serviços podem facilitar a vida do passageiro e do motorista, permitindo percorrer o trajeto inteiro com economia e segurança ou de forma integrada com o transporte público fazendo a primeira e a última milha’ de forma menos exaustiva ao conectar a estação de trem ou metrô à casa do usuário.

Para isso acontecer, é preciso que o setor público e privado trabalhem juntos. “Nós vivemos uma era que precisamos ter tecnologia de ponta  associada ao foco nas pessoas para ajudar a resolver os grandes problemas de mobilidade da cidade com soluções imediatas para diminuir a exaustão das pessoas que passam em média 2 a 3 horas por dia no trajeto casa – trabalho. Só políticas públicas combinadas com privadas conseguem resolver isso. Nosso foco é em soluções colaborativas que transformem realmente a vida de mais pessoas” – pontuou Stella.

E você, o que precisa hoje? Carro voador ou patinete?

Hypeness no SXSW 2019, a melhor tecnologia do mundo é a empatia

Pelo segundo ano consecutivo, o Hypeness vai ao SXSW. Esse ano, a Dell embarcou conosco nesse projeto de ir atrás do melhor conteúdo para você. Nossa missão: O que levar do SXSW para melhorar a minha vida e das pessoas que dividem o mundo comigo? 

Que não nos ouçam as ultramáquinas de Inteligência Artificial, mas a única inovação possível é nos humanizarmos cada vez mais. 

Vale muito mais um ser humano que conhece suas potencialidades e seus limites do que qualquer inovação futurística. 

Em nossa nova estadia em Austin, no Texas, queremos abrir ainda mais a cabeça e transformar não só o que o Hypeness entrega para vocês, amigas e amigos leitores. Mas também nossas vidas.

Nossa cobertura é um oferecimento da Dell, que promete inovar a maneira que vemos filmes, séries e esportes com a tecnologia Dell Cinema em seus notebooks.

Publicidade

Divulgação (SXSW e Embraer) e Reprodução Twitter (Alamo Drafthouse)


Isadora Ferraz
Pesquisadora de cenários futuros e foresight, cresceu lendo ficção científica e sempre se encontrou na intersecção entre humanas e tecnologia. Vive de olho em sinais que indiquem, diante do desconhecido, os muitos caminhos que podemos trilhar em direção a um futuro desejável.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Biólogo brasileiro cria armadilha inovadora contra mosquito da dengue