Debate

‘Diz-se sempre que estupro é violência, mas eu não penso assim’, diz padre sobre pedofilia

por: Redação Hypeness

Declarações feitas pelo padre Alain de La Morandais causaram mal estar na França. O pároco de 83 anos disse que “não existe violência em estupro na TV”. A frase saiu durante entrevista em um programa que debatia o escândalo envolvendo acusações de pedofilia contra membros do alto escalão da Igreja Católica.  

“Diz-se sempre que estupro é violência, mas, a princípio, eu não penso assim”, se posicionou o abade Alain de La Morandais no canal LCI, do Senado francês.

– 300 padres são acusados de mais de 1 mil casos de pedofilia nos EUA

– Cardeal é condenado a 6 anos de prisão por abusos sexuais contra criança

– Lena Waithe rouba a cena do ‘Met Gala’ com look questionando preconceito da Igreja

As declarações do padre causaram indignação na França

A entrevista repercutia a condenação do cardeal francês Philippe Barbarin por ocultamento e agressão sexual. O jornalista Audrey Crespo-Mara alertou o padre que “responsabilidade [de um crime sexual] está no adulto”.

Le Morandais respondeu que “uma criança procura espontaneamente a ternura de um homem ou uma mulher (…) Muitas vezes são crianças com frustração de ternura”. Ele seguiu, “vocês todos devem ter notado que uma criança, ela vem e te beija na boca”.

Juliette Méadel, ex-secretária de Estado da França, condenou o que chamou de “justificativas desprezíveis”. Ela acrescentou, “peça perdão a todas as crianças vítimas de padres pedófilos”.

Michel Aupetit, arcebispo de Paris, também se manifestou. “Condeno fortemente as palavras do abade de La Morandais”.

Publicidade

Foto: S.Remael/Express/Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Por que a África lidera o ranking de mulheres em conselhos administrativos