Inovação

Prefeito de Bolonha diz que espaguete à bolonhesa é ‘fake news’

por: Vitor Paiva

A história nos ensina que mesmo as mais fortes instituições, os símbolos mais inquestionáveis e aquilo que parece perpétuo está fadado a ser questionado, derrubado e desmascarado – que tudo que é sólido se desmancha no ar. E foi isso que aconteceu com o que o Brasil e o mundo pensava ser um dos totens inquebrantáveis e mais importantes da culinária italiana: o espaguete à bolonhesa.

Se, no Brasil e no mundo, esse prato é um verdadeiro ícone da comida da Itália, o mesmo não acontece em Bolonha, onde o molho nasceu – e o prefeito da cidade está em campanha para esclarecer que o espaguete a bolonhesa não passa de “fake news”.

O famoso espaguete à bolonhesa – consumido no mundo todo, menos em Bolonha

O molho à bolonhesa, tradicionalmente feito com ragu de carne bovina ou suína e molho de tomate, é, em verdade, para ser servido com outros tipos de massa, como lasanha, tagliatelle ou tortellini.

Tagliatelle à bolonhesa

O motivo está no próprio design das massas: enquanto em tais exemplos o formato das massas, com bases mais largas, ranhuras e ondulações, é preenchido pela carne, no espaguete o molho “escorrega”, não carregando a carne em uma garfada.

Tortellini à bolonhesa

O espaguete costuma ser servido com outros tipos de molho, como pesto e carbonara, e, segundo o prefeito, você não vai encontrar em Bolonha sua versão “à bolonhesa”.

Lasanha à bolonhesa

“Queridos cidadãos, estou coletando fotos de espaguete à bolonhesa ao redor do mundo para dizer que é fake news”, brincou o prefeito Virginio Merola, em um post no Twitter.

“Essa veio de Londres, por favor, me mande fotos de vocês. Obrigado”. Como não poderia deixar de ser, em pouco tempo diversos outros exemplos foram postados por usuários, comentando o post original do prefeito.

As “invenções” com o molho mais famoso de Bolonha, subvertendo seu sentido original, serão reunidas em uma exposição no Eataly, um parque gastronômico na cidade.

Publicidade

© fotos: divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.


X
Próxima notícia Hypeness:
App inovador guia corredor cego sem ajuda de cão guia ou acompanhante