Debate

27 agrotóxicos foram achados na água de 1 em cada 4 municípios brasileiros, segundo Agência Pública

por: Tarsila Döhler

Publicidade Anuncie

A Pública, agência de jornalismo investigativo, divulgou na última segunda-feira (14) que uma mistura de diferentes agrotóxicos foi identificada na água de 1 em cada 4 cidades brasileiras entre 2014 e 2017. Nesse intervalo, empresas de abastecimento de 1396 municípios detectaram 27 pesticidas, através de testes obrigatórios. Dezesseis desses componentes são classificados pela Anvisa como extremamente tóxicos e 11 estão associados ao desenvolvimento de doenças como câncer, malformação fetal, disfunções hormonais e reprodutivas. Entre os locais em que a contaminação foi identificada estão as capitais Manaus, Rio de Janeiro, Curitiba, Palmas, Florianópolis e Cuiabá.

Reportagem demonstra a urgência de se discutir o uso de agrotóxicos no país

A reportagem, feita em uma parceria entre a Agência Pública, Repórter Brasil e a organização suíça Public Eye reuniu dados do Ministério da Saúde e do Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua), órgão responsável pelos resultados de testes encaminhados pelas empresas de abastecimento.

A Pública aponta o crescimento no índice de contaminação da água: em 2014, 75% dos testes indicavam a presença de agrotóxicos. O valor passou para 84% em 2015, para 88% em 2016 e chegou a 92% em 2017. O material, assinado por Ana Aranha e Luana Rocha, traz ainda um mapa em que é possível que o leitor identifique o nível de agrotóxico na água de sua cidade.

Publicidade

De acordo com a publicação, no Brasil, 2.931 dos 5570 municípios não testaram sua água no período entre 2014 e 2017. Além de denunciar a falta de monitoramento tóxico, o texto apresenta um gráfico que demonstra o número de cidades em cada estado que possuem o coquetel tóxico completo e divulga respostas do Ministério da Saúde a respeito do caso. Outra preocupação do veículo foi contabilizar, também por estado, os agrotóxicos que se repetiram nas análises de cada cidade ao longo dos três anos.

Ações do Brasil sobre agrotóxicos vão na direção contrária às da União Europeia

Diante de um quadro tão perigoso e de interesse geral, a Pública buscou discutir a responsabilidade pela situação. E comparou, ainda, a atenção à questão do agrotóxico dada pelo Brasil com a da União Europeia, que tem por objetivo eliminar a contaminação. O organização Public Eye fez o experimento de examinar a água utilizando o padrão europeu.

Segundo o relatório, “alguns dos agrotóxicos mais perigosos ultrapassam os limites europeus em mais de 20% dos testes”. Para discutir os possíveis motivos dessa diferença, a matéria conta com especialistas e busca as ações do Congresso no sentido de mudar essa realidade. No último dia 10, no entanto, o “Governo aprovou a comercialização de mais de 31 agrotóxicos no Brasil”, conclui a reportagem.

Publicidade Anuncie

Fotos: Divulgação


Tarsila Döhler
Jornalista, pisciana, apaixonada por brechó, cerveja gelada e livros. Natural do interior, com sonho na cidade grande. Divide a vida entre textos, diagramação, bordados e os 360 dias de espera pelo carnaval.


X
Próxima notícia Hypeness:
Mais uma vítima da ação humana: Coalas estão funcionalmente extintos