Inovação

Cientista responsável por foto de buraco negro sofre ataques machistas

por: Tarsila Döhler

A foto de Katie Bouman correu o mundo na última semana, como uma das responsáveis pela primeira imagem de um buraco negro da história. Apesar do feito histórico, a jovem cientista tem sofrido ataques machistas na internet.

De acordo com os críticos, a cientista, de apenas de 29 anos, estaria recebendo “muito crédito” pelo trabalho, já que havia 200 cientistas na equipe, entre eles, 40 mulheres.

Katie Bouman com os drives que armazenaram todos os dados usados pelos cientistas

Andrew Chael, que trabalhou com Bouman no projeto, saiu em sua defesa pelo Twitter, apontando o conteúdo sexista dos ataques. De acordo com o Globo, uma informação falsa circulou pela internet, atribuindo a Chael 850 mil das 900 mil linhas de código do algoritmo que levou à imagem do buraco negro.

“(…) Então, enquanto eu aprecio os parabéns por um resultado que eu trabalhei duro por anos, se você está me parabenizando porque você tem uma vingança sexista contra Katie, por favor, vá embora e reconsidere suas prioridades na vida“, afirmou ele em seu Twitter.

Katie Bouman desenvolveu o algoritmo durante sua graduação no Massachusetts Institute of Technology (MIT). Atualmente é pós-doutoranda no projeto Event Horizon Telescope e professora assistente no departamento de Computação e Ciências Matemáticas no Instituto de Tecnologia da Califórnia. Em 2016, a cientista deu uma palestra no Ted Talk explicando o processo que possibilitaria a primeira imagem de um buraco negro três anos depois.

Publicidade

Foto: Divulgação


Tarsila Döhler
Jornalista, pisciana, apaixonada por brechó, cerveja gelada e livros. Natural do interior, com sonho na cidade grande. Divide a vida entre textos, diagramação, bordados e os 360 dias de espera pelo carnaval.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Atrações de ‘Star Wars’ dentro de parques Disney ganham data de inauguração