Debate

Com ingressos de R$ 1,5 mil, Lollapalooza paga R$ 50 por jornada de 12 horas

por: Redação Hypeness

O Lollapalooza atraiu centenas de milhares de pessoas ao Autódromo de Interlagos. Para acompanhar um dos três dias de evento era preciso desembolsar, em média, R$ 800Camarote com comida e drinks? Na casa dos R$ 1.420.

De acordo com reportagem da Folha de São Paulo, trabalhadores receberam 50 reais por dia para encarar jornadas de 12 horas, auxiliando no carregamento de equipamentos para a montagem dos palcos do evento.

Jornal: morador em situação de rua teria ganho R$ 50 para montagem de palco no Lolla

A denúncia foi confirmada pelo Padre Júlio Lancelotti. Segundo o pároco da Pastoral do Povo, cerca de 120 moradores de abrigos foram convocadas para o serviço no Lolla. “O preço de mercado para um carregador trabalhar 12 horas seria de R$ 100”.

No caso do Lollapalooza, não houve registro oficial, apenas a assinatura de um documento.

A Folha explica que muitas empresas circulam nas proximidades de abrigos construídos para a população em situação de rua com intuito de recrutar profissionais com mão de obra abaixo do valor de mercado. Jornadas estafantes por menos.

A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) estabeleceu a jornada de trabalho em 8 horas e mais 2 de extra – quando a remuneração é 50% maior do que no horário normal. Por lei, o piso diário em São Paulo é de R$ 38,80. Para 12 horas R$ 68.

Para baratear custos, recrutadores circulam nas proximidades de abrigos

Entre os convocados para atuar na montagem do Lolla estava um homem de 50 anos de idade. Ele foi contratado enquanto aguardava na fila por uma vaga em um abrigo na zona leste de São Paulo. Trabalhou por cinco dias, das 8h às 20h. Recebeu um marmitex no almoço.

A Pastoral do Povo chegou a acionar o Ministério Público do Trabalho para investigar duas empresas de carregamento do festival. A denúncia tratava do emprego de moradores em situação de rua para o evento.

Ano passado, a organização do Lollapalooza também recebeu denúncia similar. Um homem disse que recebeu R$ 50/dia por 12 horas de trabalho. A gestão do festival não se manifestou até aqui.

Publicidade

Fotos: foto 1: Divulgação/foto 2: MRossi/Divulgação


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Isis Valverde critica sexualização de foto amamentando filho: ‘Não vou me calar’