Seleção Hypeness

Dez maravilhas arquitetônicas pelo mundo que você precisa conhecer

por: Tuka Pereira

Em uma época de rápida urbanização, grandes cidades do mundo estão se expandindo e se desenvolvendo, apresentando desafios que buscam algum senso de coesão e harmonia. A este respeito, os espaços públicos permitem que moradores da cidade socializem, compartilhem cultura ou simplesmente se movimentem, e a arquitetura é sua grande aliada.

O design de edifícios envolve, estimula e inspira. Muitos dos monumentos arquitetônicos de hoje não são criados apenas para serem admirados de longe, pois moldam o ambiente com uma incrível conexão com o lugar e, acima de tudo, imaginação.

Como diz o crítico de arquitetura francês Francis Rambert: “O espaço público é o lugar da conexão, que pode ser através de Wi-Fi ou por meio do espaço físico. Uma cidade inteligente sem qualidade espacial não poderia ser acolhedora e não poderia ser sustentável”.

Então, o que está na vanguarda atual do design quando se trata de edifícios públicos que facilitam essas conexões vitais? Fizemos uma lista de maravilhas arquitetônicas espalhadas pelo mundo. Estes prédios não apenas chamam atenção por seu design único, como mudaram completamente o espaço no qual estão inseridos, tornando-os mais amigáveis e acessíveis e também mais esteticamente agradáveis.

Confira:

1 – Guiyang, China – A maior cascata artificial do mundo

Uma gigantesca cascata de 108 metros de altura despencando do alto de um arranha-céu. Esta paisagem bastante inusitada é vista diariamente pelos moradores e turistas da cidade chinesa de Guiyang, capital da província de Guizhou.

A cachoeira fica no edifício Liebian, bem no centro financeiro da cidade, um complexo de 121 metros de altura que abriga um hotel, shopping center e escritórios.

Para que a estrutura funcione, um enorme tanque de água na base do edifício coleta e armazena água. Quatro bombas de 185 kw levam a água até o topo e, para que a cascata comece a fluir, são necessárias duas horas de preparação.

A gestão da cascata é feita pela empresa Guizhou Ludiya Property Management Co. e, de acordo com os administradores da propriedade, toda água provém de reuso e água da chuva.

“Nosso prédio tem um sistema subterrâneo de armazenamento e drenagem de água de quatro andares, do qual a água é bombeada e reciclada”, disse Cheng.

Apesar de proporcionar um belo espetáculo, manter a cascata em funcionamento custa caro. Uma hora ligada acrescenta US $ 118 à conta de eletricidade do edifício. Por este motivo, ela é ativada somente em ocasiões bastante especiais por cerca de 10 e 15 minutos de duração.

2 – Roterdã, Holanda – Casas Cúbicas

As Casas Cúbicas são uma maravilha arquitetônica curiosa e magnífica localizada em Roterdã, Holanda. Elas foram projetadas na década de 70 pelo arquiteto Piet Blom que teve a intenção de simular um bosque abstrato com árvores (as casas) emaranhadas.

As 38 casas inclinadas em 45° começaram a ser construídas em 1978 e foram concluídas em 1984. Estruturalmente, as casas estão inclinadas sobre um poste hexagonal. No interior, todas as paredes convergem a um só ponto e a casa é dividida em três níveis acessíveis através de uma escada estreita. O nível mais baixo é uma área triangular usada como sala de estar. O nível médio abriga a área de dormir e banho, e o nível mais alto é uma área utilizada como segundo quarto ou sala de estar extra.

Apesar de uma área total de 100 metros quadrados, a estrutura em ângulo faz com que todos tenham uma mesma dúvida: como mobiliar estas casas? Por lá, grandes redes de lojas vendem móveis projetados especialmente elas. Ficou curioso? É possível visitar uma destas casinhas que funciona como museu e até mesmo alugar uma delas no Airbnb.

3 – Praga, República Tcheca – A Casa Dançante

Apelidado de ‘The Dancing House’, o edifício Nationale-Nederlanden foi projetado pelos arquitetos Vlado Milunić e Frank Gehry em meio aos edifícios históricos de Praga. O prédio remete a duas pessoas dançando graças a 99 painéis de concreto, cada um com uma forma e dimensão diferentes – é um verdadeiro exemplo de arquitetura desconstrutivista.

Localizada à beira do Rio Moldava, a estrutura foi concluída em 1996 e originalmente foi chamada de ‘Fred e Ginger’ (em homenagem aos atores Fred Astaire e Ginger Rogers).

Erguido no local onde existia uma construção em estilo neo-renascentista do século 19 destruído durante o bombardeio de Praga, em 1945, o Dancing House provocou, a princípio, um grande debate público.

Isso ocorreu porque a cidade é famosa por suas construções barrocas, góticas e de Art Nouveau. Hoje, no entanto, a construção é um dos pontos turísticos mais visitados da Praga moderna.

Para quem visita Praga e pode se dar ao luxo de pagar, o edifício abriga um hotel de luxo, o Dancing Hotel. Com 21 quartos com vista para o Rio Moldava, para o Castelo de Praga e outros pontos do centro histórico da capital da República Tcheca, o local possui um café e um restaurante no último andar, além de um incrível terraço panorâmico onde é possível admirar a cidade e sua vista do horizonte. Toda decoração segue o design moderno da construção.

4 – Nova Deli, India – Templo de Lotus

O Templo de Lótus, também conhecido como a Casa de Adoração Bahai ou o Templo Bahai Mashriqul-Adhkar, é uma das mais fascinantes maravilhas arquitetônicas dos tempos modernos.

Formado por 27 estruturas que lembram pétalas da flor de lótus que se abrem para um corredor central de cerca de 40m de altura, pode acomodar até 2.500 pessoas. Sua superfície é feita de mármore branco do Monte Pentélico, na Grécia, o mesmo mármore usado para construir o Parthenon.

Desde a sua conclusão em 1986, tornou-se um dos edifícios mais visitados do mundo, atraindo mais de 100 milhões de pessoas. Pessoas de todo o mundo visitam o lugar em busca de paz, meditação, orações e estudo.

5 – Kuala Lumpur, Malásia – Torres Petronas

Com 451,9 metros de altura, as Petronas Towers são arranha-céus de 88 andares e 452 metros de altura em Kuala Lumpur, na Malásia. Os prédios, que detinham o título de mais alto do mundo entre 1998 e 2004, são um marco icônico da capital.

O distinto estilo pós-moderno foi criado pelos arquitetos Cesar Pelli e Achmad Murdijat, pelo engenheiro Deejay Cerico e pelo designer Dominic Saibo, sob a consultoria de JC Guinto. Seu design foi influenciado pelo islamismo com um desenho no formato de uma estrela de 8 pontas — esta figura representa os pilares da religião muçulmana.

Uma passarela chamada Skybridge está localizada no 41º andar ligando as duas torres. Cada uma delas contém 29 elevadores de alta velocidade e dez escadas rolantes. Existem mais cinco andares de garagem no subsolo que comportam até 5.400 veículos.

A construção abriga dezenas de escritórios, um gigantesco shopping , o Suria KLCC, e um parque, o KLCC Park.

6 – Bilbao, Espanha – Museu Guggenheim

O museu Guggenheim de Bilbao tornou o arquiteto Frank Gehry e a cidade basca mundialmente famosos. Esse prédio é o melhor marcador do impacto colossal que existe nos mundos arquitetônico e artístico, bem como na regeneração urbana e no turismo.

Antes de o museu ser inaugurado em 1997, a cidade de Bilbao, no norte da Espanha, não possuía nenhuma tradição cultural. Em 1991, o governo basco propôs à Fundação Solomon R. Guggenheim que financiasse um museu e o construísse na zona portuária degradada da cidade.

Com sua inauguração, o museu passou a fazer parte de um plano de desenvolvimento maior, cujo objetivo era renovar e modernizar a cidade industrial. Quase imediatamente após sua abertura em 1997, o Guggenheim de Bilbao tornou-se uma atração turística popular, atraindo visitantes de todo o mundo.

O local reavivou a crença de que a arquitetura pode ser ambiciosa, bela e popular ao mesmo tempo. Desde então, o museu já recebeu mais de 10 milhões de visitantes e colocou Bilbao firmemente no mapa.

7 – Cingapura – Henderson Waves

A mais alta ponte para pedestres em Cingapura foi construída para unir dois parques do sul da ilha, o Mount Faber Park ao Telok Blangah Hill Park. Inaugurada em 2008, sete reforços feitos em aço retorcido criam um aspecto ondulado ao longo dos 274 metros de comprimento da ponte, oferecendo áreas de descanso com bancos, onde os pedestres podem parar para se sentar e papear.

O que torna esta ponte para pedestres única é a sua impressionante estrutura ondulada que impressionam tanto durante o dia quanto à noite, quando as luzes ajudam a compor um visual maravilhoso. Diariamente, entre das 19:00 às 02:00, a ponte assume uma aparência diferente quando é iluminada com luz LED.

Suavemente integrada à paisagem, a Henderson Waves Bridge proporciona uma excelente experiência ao ar livre, pois permite caminhar pelo topo das florestas e ver uma rica variedade da flora e fauna, incluindo pássaros em seus habitats naturais. É também um dos melhores lugares em Cingapura para capturar vistas panorâmicas da cidade, do porto e das ilhas do sul.

8 – Dubai, Emirados Arabes Unidos – Burj Khalifa

O Burj Khalifa, o edifício mais alto do mundo da atualidade, é uma impressionante obra de arquitetura e engenharia. Com dois decks de observação nos andares 124 e 148 (são 163 andares no total), um restaurante-bar no 122º andar, apartamentos residenciais, escritórios e um luxuoso hotel Armani, o prédio inaugurado em 2010 atravessa o céu a 828 metros!

Feito de concreto e aço, com o exterior coberto por mais de 28 mil painéis de vidro, sua construção levou quase seis anos para ser concluída e teve a colaboração de 12 mil operários de diferentes nacionalidades.

Sua aparência é baseada em uma flor chamada Spider Lily (Lírio Aranha), que é nativa da América do Sul e México.

O deque de observação “At The Top”, localizado no 124º andar, é uma das principais atrações turísticas da cidade. Do topo, pode-se ver uma vista em 360 graus do oceano, do deserto e da cidade.

O nome da torre de Dubai foi escolhido no último minuto, inicialmente ele era chamado de Burj Dubai, mas foi renomeado como Burj Khalifa para homenagear o presidente dos Emirados Árabes Unidos e governador de Abu Dhabi, xeque Khalifa bin Zayed Al Nahyan, que ajudou com os fundos para construir a obra.

9 – Sopot, Polônia – The Crooked House

Este lugar parece uma foto digitalmente distorcida ou uma pintura de um artista bêbado, mas se trata de uma casa real localizada na popular rua Monciak, no Centro Comercial Rezydent em Sopot, na Polônia.

Projetado pelos arquitetos Szotyńscy & Zaleski, a área de 43 mil metros quadrados é o edifício mais fotografado do país e foi inspirado nas obras do ilustrador de livros infantis Jan Marcin Szancer.

O espaço abriga o shopping center Rezydent, e sua arquitetura incomum atrai viajantes do mundo inteiro. Mas não apenas turistas ficam intrigados com essa construção peculiar, mas também especialistas da área. Criar casas como essa não é algo normalmente se aprenda em uma escola de arquitetura – é preciso ser um artista.

A construção da The Crooked House foi concluída em 2004.

10 – Montreal, Canadá – Habitat 67

Projetado por Moshe Safdie para a Feira Mundial de 1967 (Expo ’67), o Habitat 67 serviu como residência temporária para muitos dignitários visitantes do mundo. A Expo ’67 tem sido amplamente considerada a mais bem sucedida feira mundial do século 20, com mais de 50 milhões de visitantes e 62 nações participantes. O projeto começou como tese de mestrado de Safdie em 1961 (então com apenas 25 anos de idade), quando ele ainda era um estudante de arquitetura na McGill University.

O cubo é o começo, o meio e o fim do Habitat 67: são 354 cubos que se acumulam um sobre o outro para formar 148 residências. Integradas ao senso de comunidade que Safdie buscou criar na obra, estão suas passarelas externas, chamadas ruas de pedestres, que interligam os módulos residenciais com vários níveis em cinco andares diferentes.

Seu objetivo era criar moradias que tivessem todos os benefícios de casas individuais, como jardins, ar fresco e privacidade, mas no espaço econômico de um prédio de apartamentos urbanos. A ideia era construir casas que seriam ideais em cidades lotadas ao redor do mundo. Infelizmente, por ser um edifício tão fora do comum, seu sonho de habitação a preços acessíveis falhou: o valor de mercado é muito maior do que ele tinha imaginado.

Publicidade

Imagens: Divulgação


Tuka Pereira
Jornalista há mais de uma década e 'escrevinhadora' há muito mais tempo, Tuka Pereira aborda feminismo a gatinhos fofos com a mesma empolgação. Se existe algo que gosta mais do que escrever é carimbar o passaporte. Já esteve em boa parte do mundo e todo dinheiro que ganha gasta em viagens.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
‘Quero Bolsa’: plataforma reunirá mais de 55 mil cursos e intercâmbios em 25 países