Ciência

Metade dos motoristas acredita que ciclistas ‘não são totalmente humanos’

por: Vitor Paiva

Os conflitos entre motoristas em seus carros e ciclistas nas ruas das grandes cidades não são novidade para ninguém que esteja em qualquer um dos dois lados. Uma pesquisa realizada com 442 donos de automóveis australianos não só revela um aspecto profundo de tal relação que justifica em parte a hostilidade por parte dos motoristas contra pessoas em bicicletas, como também funciona como uma precisa metáfora para embates políticos e ideológicos em todo o mundo atualmente: mais da metade dos motoristas não enxergam os ciclistas de forma “totalmente humana”.

De acordo com a pesquisa, conduzida por cientistas da universidade de Monash, os ciclistas são vistos por mais da metade dos motoristas entrevistados como uma “minoria”, que provoca hostilidade de forma deliberada diante da mera menção do termo. Segundo os cientistas, desumanizar o outro é a primeira maneira de se permitir sentir raiva, e é a partir de tal mecanismo – como se o grupo diferente do seu fosse menos humano que você – é que se revelam os dados impactantes da pesquisa.

“Tráfego, pare de matar ciclistas”, diz o cartaz da manifestante

17% dos entrevistados afirmaram que já bloquearam ciclistas de propósito; 11% que dirigiram ameaçadoramente próximos aos ciclistas, enquanto 9% admitiram já terem fechado um ciclista com seus carros. “Quando você não pensa que alguém é “realmente humano”, é mais fácil justificar o ódio ou a agressão. Isso costuma criar um ciclo escalar de ressentimento”, disse o Dr. Alex Delbosc, responsável pelo estudo.

“Nós queremos entender esse processo para realizarmos um trabalho melhor de colocar um rosto humano nas pessoas que andam de bicicleta, esperando que assim possamos parar com o abuso”, disse o cientista, oferecendo também uma importante reflexão para tantos outros embates em esferas diversas das relações humanas contemporâneas.

Publicidade

© fotos: divulgação


Vitor Paiva
Escritor, jornalista e músico, doutorando em literatura pela PUC-Rio, publica artigos, ensaios e reportagens. É autor dos livros Tudo Que Não é Cavalo, Boca Aberta, Só o Sol Sabe Sair de Cena e Dólar e outros amores.


X
Próxima notícia Hypeness:
Conheça Ceres, o planeta anão que é um mundo oceânico