Viagem

Milhas do povo: projeto quer devolver milhas dos políticos para a população

por: Mari Dutra

Publicidade Anuncie

Já reparou como os políticos vivem viajando? Segundo o Instituto Reclame Aqui, um deputado federal ou um senador voam em média duas vezes por semana. Acontece que esses voos, que são feitos a trabalho, são pagos com dinheiro público. Ou seja, nada mais justo do que devolver as milhas aéreas ao povo, não é mesmo?

A campanha Milhas do Povo propõe justamente isso. A ideia é que as milhas acumuladas em voos realizados por políticos sejam revertidas para cidadãos carentes financeiramente que necessitam adquirir passagens aéreas. A proposta lembra bastante o projeto Miles 4 Migrants, em que pessoas comuns doam milhas para que imigrantes possam se reunir com suas famílias.

Obviamente, as viagens beneficiadas pela iniciativa não são focadas em turismo. Elas devem ter cunho cultural, educativo, esportivo ou de saúde. Os interessados em solicitar as milhas dos políticos para estes fins devem se inscrever através do site do projeto até o dia 15 de junho, contando o motivo da viagem.

Cada pedido é analisado por uma comissão julgadora, que irá priorizar as solicitações motivadas por questões de saúde. Se aprovado, as milhas são solicitadas aos políticos, que podem ou não contribuir.

Políticos interessados em participar devolvendo suas milhas podem fazer isso através de um formulário disponível no site. Eles deverão informar seu nome, e-mail e telefone para que a equipe do Reclame Aqui entre em contato.

Em um vídeo realizado pelo projeto no dia 27 de março (acima), diversos políticos se comprometeram a devolver as milhas acumuladas. Entretanto, no dia 1º de abril, nenhum deles havia cumprido com a promessa ainda, segundo aponta uma publicação da empresa no Twitter.

Bora pressionar para que essas milhas sejam revertidas para quem mais precisa?

Leia também: Reclame Aqui quer contratar ‘sua avó’ e abre vaga exclusiva para mulheres acima de 55 anos

Publicidade Anuncie

Foto em destaque: Tim Gouw

Fotos no corpo do texto: Divulgação


Mari Dutra
Depois de viver na Argentina, na Irlanda e na Romênia, percebeu que poderia carimbar o passaporte mais vezes caso trabalhasse remotamente. Escreve para o Hypeness desde 2014 e conta suas experiências como viajante consciente através do Quase Nômade.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Menino de 12 anos foge de casa, burla segurança e voa sozinho de Curitiba a SP