Debate

Museu do Holocausto visitado por Bolsonaro em Israel confirma: Nazismo era de direita

por: Redação Hypeness

Na terça-feira (2), Jair Bolsonaro (PSL) esteve no centro de memória do Holocausto Yad Vashem, em Jerusalém. A visita ao museu público dedicado aos seis milhões de judeus mortos por nazistas requentou a polêmica sobre a orientação política do regime de Adolf Hitler.

– Embaixador alemão não consegue entender como brasileiros distorcem nazismo

Assim como historiadores renomados, o site oficial do museu é enfático ao dizer que o nazismo foi criado pela extrema-direita. O centro de memória do Holocausto Yad Vashem  abriga um importante centro de pesquisa sobre atividades nazistas.

Bolsonaro disse que o nazismo é de esquerda

O acervo conta com abordagens como ensaio sobre a situação na Alemanha depois do Tratado de Versalhes, que formalizou a paz entre as principais potências da Europa depois da Primeira Guerra Mundial.

O museu cita o clima do momento. “Junto a intransigente resistência e alertas sobre a crescente ameaça do Comunismo, criou solo fértil para o crescimento de grupos radicais de direita na Alemanha, gerando entidades como o Partido Nazista”.

– Fotografias de soldados nazistas crossdressers são lembrete da complexidade do ser humano e da história

– Ministro das Relações Exteriores diz que aquecimento global é trama marxista

Durante a visita, o presidente Bolsonaro esteve na exposição Flashes of Memory – Fotografia durante o Holocausto. Ele depositou flores em homenagem às vítimas do nazimo e assinou livro de honra memorial.  

Bolsonaro, no entanto, declarou aos jornalistas que o nazimo é de esquerda. “Sem dúvidas. É o Partido Nacional Socialista da Alemanha”, afirmou.

A fala do presidente brasileiro vai ao encontro do posicionamento de Ernesto Araújo. O Ministro das Relações Exteriores é grande defensor da teoria do nazismo de esquerda.

O chanceler brasileiro também diz que o nazismo é de esquerda

“A esquerda fica apavorada cada vez que ressurge o debate sobre a possibilidade de classificar o nazismo como movimento de esquerda”, escreveu em texto no blog Metapolítica 17.

O chanceler acrescentou, “livres dessa inibição, podemos facilmente notar que o nazismo tinha traços fundamentais que recomendam classificá-lo na esquerda do espectro político”.

Lembrando que a posição adotada por membros do governo brasileiro irritou o historiadores e o próprio embaixador da Alemanha no Brasil.

Em entrevista à rede de TV pública alemã, Kai Michael Kenkel, professor do Instituto de Relações Internacionais da PUC-Rio e pesquisador associado do Instituto Alemão de Estudos Globais e Regionais (Giga), afirmou que “lá é muito simples: trata-se de extrema direita e ponto. Essa discussão sobre ser de esquerda ou direita parece existir só no Brasil. Se você perguntar para um neonazista na Alemanha se ele é de esquerda, vai levar uma porrada”.

Publicidade

Fotos: EBC


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Inventora do chá de revelação se arrepende: ‘Não é legal!’