Criatividade

Propaganda dos anos 1980 sobre primeiro sutiã ganha releitura com menina trans

por: Gabriela Glette

Todo brasileiro que foi jovem na década de 1980, conhece a icônica propaganda do primeiro sutiã, criada em 1987 pela W/GGK para a marca de lingerie Valisère. Hoje, mais de 30 anos depois, a Madre Mia Filmes fez uma releitura da campanha com uma menina trans, com o objetivo de abrir a discussão sobre a violência e o preconceito contra transexuais.

meu primeiro sutiã 1

Na época em que foi lançada, a campanha ‘O primeiro sutiã a gente nunca esquece’ ganhou Leão de Ouro no Festival de Cannes e até hoje é considerada uma das melhores e mais criativas propagandas brasileiras. O filme mostra uma menina, que entra em seu quarto e se depara com uma caixa, onde estava o seu primeiro sutiã.

meu primeiro sutiã 2

Três décadas depois, a releitura intitulada de ‘Meu primeiro sutiã’, é baseada na história real de Hugo Calvan, que aos dez anos de idade alterou o nome de batismo para Ludmila e, aos 12, ganhou seu primeiro sutiã. E, ao contrário da original, que abordada as descobertas de uma pré adolescente, a nova versão mostra a dificuldade do pai da jovem para compreender a realidade da transição de gênero.

meu primeiro sutiã 3

A própria Ludmila protagoniza a campanha, mas o pai que aparece nas imagens não é o real. Esta não é a primeira vez que a inesquecível propagando criada por Washington Olivetto foi parodiada. Assista abaixo as duas versões completas:

 

 

Publicidade

Foto 1: reprodução

Fotos 2 e 3: Unsplash


Gabriela Glette
Uma jornalista que ama poesia e mora na França, onde faz mestrado em comunicação. Apaixonada por viagens e inquieta por natureza, ela encontrou no nomadismo digital o segredo de sua felicidade, e transforma a saudade que sente da família e amigos em combustível para escrever suas histórias.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Vira-lata caramelo teve reconhecimento devido e é eleito mascote da ‘Copa América’