Debate

‘São piadas’: Bolsonaro defende Danilo Gentili após pedido de prisão

por: Redação Hypeness

Você leu aqui no Hypeness que Danilo Gentili foi condenado a seis meses de prisão em regime semiaberto por ofensas contra a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS).

Mesmo que ainda caiba recurso, a decisão da juíza Maria Isabel do Prado, da 5ª Vara Criminal de São Paulo, repercutiu inclusive junto ao presidente da República. Como de costume, Jair Bolsonaro foi ao Twitter para prestar solidariedade ao humorista.

Gentili retribuiu o gesto de Bolsonaro. “Assim como nunca imaginei um dia ser condenado à prisão por protestar contra censura, nunca imaginei também contar com apoio presidencial”.

Lembrando que o apresentador do SBT foi condenado a 6 meses e 28 dias de prisão no semiaberto por causa de vídeo publicado em 2017. Na gravação, ele aparece esfregando um documento enviado pela Procuradoria Parlamentar da Câmara dos Deputados nas partes íntimas.

– OITENTA tiros e a marcha do deboche racista do Brasil

Bolsonaro não falou publicamente sobre homem fuzilado pelo exército no Rio

– Aprovação de Bolsonaro cai 15 pontos com pior início de governo desde Collor, diz Ibope

“Se a intenção do acusado não fosse a de ofender, achincalhar, humilhar, ao ser notificado pela Câmara dos Deputados, a qual lhe pediu apenas que retirasse a ofensa de sua conta do Twitter, o acusado poderia simplesmente ter discordado ou ter buscado a orientação jurídica de advogados para acionar pelo que entendesse ser seu direito”, diz a sentença emitida pela juíza Maria Isabel do Prado, da 5ª Vara Criminal de São Paulo.

Danilo recebeu a sentença com ironia: 

Jair Bolsonaro é réu no Supremo Tribunal Federal em ação que apura declaração feita em 2014. O então deputado federal disse que Maria do Rosário não merecia ser estuprada porque ela a considera “muito feia”.

O porta-voz da Presidência diz que Bolsonaro não manifestou pesar pelo fuzilamento de um inocente

O presidente da República recebeu críticas pelo silêncio sobre a morte de Evaldo dos Santos Rosa, atingido por 80 tiros disparados por soldados do exército. O porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, classificou o fuzilamento de um carro de família como “incidente”.

O porta-voz negou que Jair Bolsonaro tenha feito algum tipo de manifestação de pesar pela morte de Evaldo. “Não, não fez”. O presidente ainda não falou publicamente sobre o ocorrido e de acordo com o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, Bolsonaro mandou apurar “o que tem que ser apurado”.

Publicidade

Fotos: Reprodução


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Usuário de iPhone processa Apple por ‘torná-lo gay’