Debate

Xenofobia: Brasileiros, os ‘zucas’, são ameaçados com pedras na Universidade de Lisboa

por: Tarsila Döhler

A Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDUL) amanheceu com um caixote de madeira cheio de pedras e acompanhado da frase: “grátis se for para atirar em um ‘zuca’ (que passou na frente no mestrado)”. O objeto é um convite para que portugueses apedrejem brasileiros, chamados de “brazucas” no país europeu.

O incentivo à xenofobia é associado ao grupo Tertúlia, que compete na eleição para a Associação Acadêmica da faculdade, famoso por seu humor áspero e sátiras controversas. Os mestrandos brasileiros reagiram imediatamente e exigiram medidas punitivas da diretoria da instituição.

Nunca fui mal tratada aqui. A faculdade sempre foi inclusiva e mantém um ambiente ótimo”, afirmou à Veja a pernambucana Maria Eduarda Callado, de 24 anos, estudante de mestrado em Direito Internacional Comercial desde setembro do ano passado. Dos quase 5500 alunos da instituição, mais de 1200 são brasileiros. “Eu não esperava essa atitude xenofóbica. Eles podem ter achado engraçado. Mas, para nós, não teve graça nenhuma.”

Maria Eduarda explicou também que a ação se deu depois que a faculdade implementou uma mudança no calendário do processo de admissão de estudantes de mestrado. Desde o ano passado, a primeira fase de inscrição foi antecipada para maio/junho, quando os estudantes portugueses ainda não concluíram a graduação e, por isso, não podem se inscrever.

Os brasileiros, porém, que geralmente terminam a graduação no final do ano anterior, possuem mais chances de se inscrever e conseguir a maioria das vagas do mestrado. Aos portugueses, restam as vagas remanescentes da segunda chamada, que ocorre em setembro.

Dados da Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial (CICDR), divulgados pela imprensa portuguesa, apontam que o número de denúncias por casos de racismo e xenofobia em Portugal atingiu seu recorde histórico no ano passado. A maioria das queixas é feita por brasileiros.

Os estudantes da Faculdade de Direito pretendem fazer uma manifestação na próxima quinta-feira (02) e o reitor da Universidade de Lisboa, António Cruz Serra, abriu um processo disciplinar para apurar o caso absurdo.

Publicidade


Tarsila Döhler
Jornalista, pisciana, apaixonada por brechó, cerveja gelada e livros. Natural do interior, com sonho na cidade grande. Divide a vida entre textos, diagramação, bordados e os 360 dias de espera pelo carnaval.

Branded Channel Hypeness

Marcas que apoiam e acreditam na nossa produção de conteúdo exclusivo.



X
Próxima notícia Hypeness:
Na ONU, Brasil vota com Arábia Saudita e outras ditaduras contra direitos humanos