Debate

Hoje é dia de paralisação em defesa da educação brasileira; confira agenda das capitais

por: Redação Hypeness

Publicidade Anuncie

A quarta-feira (15) pode ficar marcada pela primeira grande greve da gestão de Jair Bolsonaro (PSL). Assim que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, anunciou cortes nos investimentos em universidades federais e bolsas de pesquisa, estudantes Brasil afora começaram a mobilização para assegurar o direito ao ensino.

Batizado de #15M, os atos acontecem desde as primeiras horas da manhã em pelo menos 15 estados e o Distrito Federal. Em São Paulo, estudantes, professores e funcionários bloquearam o trânsito na entrada principal da Universidade de São Paulo. Os cartazes criticam a suspensão de bolsas de pós-graduação e a reforma da Previdência.

Cortes na educação: Governo enfrenta a primeira onda de protestos

Ainda na capital paulista, às 15h, está previsto um um grande ato no vão livre do MASP, na Avenida Paulista. Em Campinas, interior de SP, estudantes da Unicamp e da PUC-Campinas fecharam avenidas e protestaram contra os cortes da gestão Bolsonaro. Sorocaba também registrou manifestações.

– Após cortes na educação, 5 fundações que te levam pra estudar fora do Brasil

– 3 meses muito malucos: 5 confusões e bizarrices do agora ex-ministro da Educação

– Paradoxo: governo tem discurso em Libras, mas extingue secretaria que cuidava da educação de surdos

A oficialização dos bloqueios na educação veio em abril, uma das primeiras medidas de Weintraub, homem com trânsito no mercado financeiro e substituto do ex-ministro Vélez Rodríguez.  O Ministério da Educação informa congelamento de 24,84% das chamadas despesas discricionárias – incluindo gastos com contas de água, luz, contratação de terceirizados, compra de material básico e realização de pesquisas.

O ministro justificou chamando algumas universidades de promotoras da ‘balbúrdia’. Os efeitos já foram sentidos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), que informou a suspensão da concessão de bolsas de mestrado e doutorado.

Em conversa com o Brasil de Fato, Douglas Izzo, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT-SP), diz que a greve pode se tornar histórica e representa insatisfação com o governo federal.

Para ministro, universidades promovem ‘balbúrdia’

“A parte da sociedade que detém o poder econômico. A maioria dos brasileiros já percebeu que essas políticas atacam o conjunto da população brasileira, seja nos seus direitos, seja lá na educação, seja nas política públicas”, refletiu.

Especialistas apostam nas redes sociais, até aqui aliada de Jair Bolsonaro, como possível responsável para o que o próprio presidente batizou de ‘tsunami’. Some isso ao fato de que o ministro da Educação dará explicações aos deputados federais sobre os bloqueios ainda nesta quarta-feira (15).

“Os bolsonaristas estão bem receosos, a gente observa isso nos grupos do WhatsApp. O que eu tenho percebido é que a bolha Bolsonaro tem falado cada vez mais para ela mesma, tanto que os índices de reprovação do presidente vêm crescendo. E eles realmente estão falando com um discurso radical que tem ficado ali”, diagnosticou ao El País Sérgio Deliconi, diretor da análise de consultoria AP/Exata.

Em São Paulo, estudantes se reúnem no MASP, às 15h

Confira a lista completa de atos pela educação e contra os bloqueios:

Acre

Rio Branco – Ato público, às 8h, em frente ao Palácio Rio Branco. Trabalhadores da educação estão participando da Greve Geral.

Alagoas

Maceió – Ato unificado no Centro Educacional de Pesquisa Aplicada (Cepa), às 9h, no bairro do Farol. À tarde, 13:30, uma Feira de Ciências com exposição de cartazes e apresentações de projetos de pesquisa desenvolvidos dentro da universidade, será realizada no calçadão do comércio.

Amapá  

Macapá: 16h ato na Praça das Bandeiras.

Amazonas

Manaus –  UFAM – Ato dos estudantes às 7h na Universidade Federal do Amazonas.

IFAM – 16h – No Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Amazonas. Avenida 7 de setembro, 1975, Centro.

UEA Às 15h participação em Ato Público na Praça 5 de setembro (Praça da Saudade). Fonte: Sind-uea

Ato unificado: Trabalhadores da Educação e estudantes farão ato público em Manaus, às 15h, na Praça do Congresso.

Bahia

Salvador – As redes estadual e municipal de Salvador e do interior, universidades federais e estaduais, rede privada, técnicos das universidades, movimento estudantil vão parar suas atividades e participar do ato às 9h, no Largo do Campo Grande, centro.

Feira de Santana – Ato Unificado Praça Tiradentes (em frente ao Instituto de Educação Gastão Guimarães), às 8h30.

Vitória da Conquista – às 8h, na Praça 9 de novembro.

Itapetinga – Manifestação Praça Dairy Valley, às 8h. Roda de conversa no Moacir Moura às 16h.

Jequié – Praça Ruy Barbosa, às 15h.

Ilhéus – 9h, Estádio Mario Pessoa.

Itabuna – 15h, “Jardim do Ó”.

Distrito Federal

Brasília –  Ato unificado: Concentração no Museu Nacional, às 10h, e marcha ao Congresso Nacional às 11h. Organizado por ampla frente com as entidades da educação.

Ceará

Fortaleza – Ato na Praça da Bandeira, às 8h.

Espírito Santo

Vitória – Ato unitário com trabalhadores, alunos e professores na Praça do Papa, às 8h30.

Na Ufes, a concentração para o ato será às 16h30, em frente ao Teatro Universitário, no campus de Goiabeiras. No mesmo horário, haverá também concentração no Instituto Federal de Educação (Ifes/Vitória), próximo à Pracinha de Jucutuquara. Durante todo o dia, haverá panfletagem na Ufes. Início da manifestação nas ruas: 17 horas.

Goiás

Publicidade

Goiânia –  Ato público, às 15h, na Praça Cívica em Goiânia. Fonte: CNTE. Antes, estudantes da UFG e IFG  convocam todos a participarem de uma assembleia às 13h na Praça Universitária e em seguida participarem de Ato Nacional em Defesa da Educação e da Universidade Pública.

Maranhão

São Luís – As entidades estudantis, sindicais e movimentos sociais realizam na capital maranhense dois grandes atos:  às 6h, concentração na Entrada do Campus do Bacanga da UFMA. Às 15h, Grande Ato em Defesa da Educação, na Praça Deodoro.

Mato Grosso

Cuiabá – Ato Público será na Praça Alencastro, às 14 horas. Mais cedo, às 6h a categoria fará mobilização nas guaritas da UFMT. 13h concentração no RU para seguir em carreata, até a Praça Alencastro.

Sinop – 15h – Ato Unificado na Praça da Bíblia e caminhada até a Praça Plínio Callegaro.

Mato Grosso do Sul

Campo Grande – Ato na rotatória do Morenão, às 9h.

Minas Gerais

Belo Horizonte  – Ato público na Praça da Estação, às 14h, e atos locais nos municípios. Também terá um debate sobre a reforma da previdência na UFMG.

Às 9:30, Praça da Estação – BH

Viçosa – Concentração às 07h30 nas Quatro Pilastras.

Uberlândia – 15h – Praça Ismene Mendes.

Lavras – Praça Dr. Augusto Silva, 10h.

Pará

Belém – Professores da UEPA e UFPA, com demais educadores e estudantes, irão participar, em conjunto com as demais categorias, de um ato público a partir das 8h, na Praça da República.

Paraíba

João Pessoa – 9h. Ponto de Cem Réis. 14h. Audiência Pública na Assembleia.

Sumé – 8h. Escola Agrícola da UFCG.

Campina Grande – 8h. Praça da Bandeira.

Paraná

Curitiba – Marcha em direção ao Centro Cívico está marcada para às 9 horas, com saída da Praça Santos Andrade, no Centro da cidade. Os docentes da UTFPR farão uma concentração própria para a manifestação a partir das 8 horas no pátio interno da Sede Centro do campus Curitiba, com partida programada para 8h30 em direção ao ato.

Ponta Grossa – Piquete na UEPG às 7h. Ato às 18h no Parque Ambiental.

Marechal Cândido Rondon – Manifestação às 17h30 na Praça Willy Barthy.

Foz do Iguaçu – 15h30 no Terminal de Transporte Urbano.

Cascavel – 9h na Catedral Nossa Senhora Aparecida.

Guarapuava – Às 9h, mobilização na rua XV de novembro, com som e, às 11h, integração com a passeata de estudantes. As 19h, vigília com luzes em ambos os campi (Santa Cruz e CEDETEG), junto com estudantes; além de realização de demais atos criados em conjunto entre Estudantes + ADUNICENTRO, em ambos os campi.

Irati – Às 9h, mobilização na esquina do Supermercado Gcenter, juntamente com o IFPR, estudantes e professores das escolas públicas.

Londrina – Calçadão, centro da cidade, em frente ao Banco do Brasil, a partir das 9h.

Pernambuco

Recife – 8h no portão de entrada do CEGOE da UFRPE.

15h Ginásio Pernambucano com passeata até a Praça do Carmo.

Garanhuns – 8h – Ato Unificado – Adupe e demais sindicatos e entidades; Local: Praça da Fonte Luminosa.

Petrolina – 8:30h – Grande ato da Greve Nacional da Educação. Local: Praça do Bambuzinho.

Piauí

Teresina – 8h. Caminhada do INSS até o Palácio de Karnak.

Rio de Janeiro

Rio de Janeiro – 12h. Praça XV.

Rio de Janeiro – 15h. Candelária.

Niterói – 10h. Praça Arariboia.

Volta Redonda – 10h. Praça da Prefeitura. 16h na Praça Brasil.

Macaé – 9h. Praça Veríssimo de Melo.

Campos dos Goytacazes – 10h. Pelourinho. 15h. Tenda da UFF.

Angra dos Reis – 10h. Praça do Papão.

Rio Grande do Norte

Natal – 15h. Em frente ao Shopping Midwei.

Mossoró – 6h30. Mobilizações na UERN e IFRN. 8h. Ato na UFERSA.

Rio Grande do Sul

Porto Alegre – 13h30min – Concentração em Frente à Faced (Quarteirão da Reitoria da UFRGS). Após a concentração, temos uma sequência programada de ações:

1) Abraço à Faculdade de Educação da UFRGS

2) Abraço ao IE – Instituto Estadual de Educação General Flores da Cunha (Av. Osvaldo Aranha, 527)

3) Caminha com panfletagem até o centro de Porto Alegre, passando pelos campi centro da UFRGS, UFCSPA e IFRS PoA (R. Cel. Vicente, 281).

4) Ato em frente ao INSS no Centro (Tv. Mário Cinco Paus, 20, esquina com a Uruguai).

Osório – 7h40 – Em frente ao IFRS.

Palmeira das Missões – 13h30 – Saída do campus da UFSM até o Largo Westfalen.

Frederico Westphalen – 14h – Praça da Matriz.

Santa Maria – 16h – Praça Saldanha Marinho.

Pelotas – 14h no Mercado Central. 16h Caminhada até o IF Sul.

Rio Grande – 17h15. Largo Dr Pio.

Rondônia

Porto Velho – 9h. Sede do Sintero.

Roraima

Boa Vista – 14h. Caminhada da UFRR até o Centro Cívico.

Santa Catarina

Florianópolis – 7h. Panfletagem na UFSC. 15h. Largo da Catedral.

Chapecó – 18h. Praça Coronel Bertaso.

Camboriú – 12h. Na rótula entre as ruas Joaquim Garcia, Gustavo Richard e Avenida Santa Catarina.

São Paulo

São Paulo – 14h. Encontro na Praça do Ciclista. Ato na avenida Paulista. Docentes da Unicamp, Unesp, Unifesp e da UFABC também se somam com ônibus saindo das cidades.

São José dos Campos – 9h. Praça Alfonso Pena.

Diadema – 10h. Igreja da Matriz.

Osasco – 9h30. EPPEN.

São Carlos – 9h. Praça Coronel Salles.

Sergipe

Aracaju – 14h. Praça General Valadão.

Tocantins

Palmas – 16h. Passarela de Taquaralto.

Publicidade Anuncie

Fotos: foto 1: EBC/foto 2: EBC/foto 3: Wikipédia


Redação Hypeness
Acreditamos no poder da INSPIRAÇÃO. Uma boa fotografia, uma grande história, uma mega iniciativa ou mesmo uma pequena invenção. Todas elas podem transformar o seu jeito de enxergar o mundo.


X
Próxima notícia Hypeness:
Milkshakes instagramáveis estão sumindo dos cardápios por danos à saúde